SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 28 de março de 2015

O desejo







O desejo não chega a ser desejo,
Porque desejar é amar.

Ter um beijo num sorriso,
Num olhar,
Num gesto de carinho,
Num roçar os lábios de fogo
E ternura,
De saliva ou secura,
É amar intensamente,
(Adivinho!)
Com loucura!

A dimensão do Poema
Não abarca tanto Amor,
Tanto calor.

Os olhos choram, de dó,
Porque um tamanho Amor,
Existe como o pó;
Limpa-se e ele volta e persiste.

E a Alma,
Ser transcendente,
Aparece frente a frente
Igual a si mesma: pura.

Não se pode fugir ao pensamento,
Á visão,
Ao encantamento,
Que o brilho, estrelar, dos olhos vivos
Põe no peito
E o calor suave dos lábios
Róseos, aveludados,
Dominam num rosto divinal.

O arfar sereno, dos seios,
Convida a reclinar a cabeça
Num repouso supremo,
Dum Amor inigual,
Extremo...

Afinal,
O desejo, Senhor,
É, simplesmente, poder
Ter um pouco de Amor!



SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

sábado, 21 de março de 2015

Sempre triste



 


Quem me dera a morte!...

Triste é a vida,
Porque, sem a viver,
Tudo me é triste...

Agora,
Sei que morrer
É uma sorte.
Como alguém dizia:
Faz parte da despedida...

Quem me dera morrer!
Seria liberto do sofrer
E teria motivos de alegria.
Na minha Alma de fantasma,
Tudo o que ora é fantasia
Realmente,
Dentro de mim, existe.

Pasma!
... Assim, eu vivo
Quase eternamente,
Mas ando sempre triste.



SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

sábado, 14 de março de 2015

A Arte de doar



  



Adentro do teu rosto, mergulhei
Na lágrima que teimava brotar.
Agora, novamente, te encontrei,
Olhando nas estrelas desse olhar.

Soubesses, tu, o quanto receei,
Se a dor persistisse em magoar!...
Foram tantos, os sonhos que sonhei,
E tu não os podias partilhar.

Eu sei que vives auras desse bem:
Voar, livremente e imaginando
Quanto de bom e belo o Mundo tem.

Aceita, no Amor, que só amando
Se pode edificar, como ninguém,
A Arte de doar, nada cobrando...



SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

sábado, 7 de março de 2015

Habita no coração







Beijar
Pétalas aveludadas,
Não sentindo picadas
Das dores de tanto amar...

Se tu soubesses, ò Rosa,
Os hinos que canto e sinto
Nos dias que vou passando!...

Como mariposa,
Não posso morrer, Primavera,
Sem escutar nossos sinos,
Nos actos de te beijar
Nos lábios doces, de mel,
Sorver néctares,
Aromas,
Ferir-me nos teus espinhos
Que o tempo irá secar...

O Outono já se foi!...
O Inverno se apossa
Do frio
Que já nos gela
A Alma e o corpo, também.

Receio o desfolhar
No final desta Estação.

A Rosa,
A minha flor,
Habita no coração.




 

SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Sabes o que eu sei?






Se queremos a liberdade,
Temos de lutar
Para a conseguir.
Se acreditamos
No que desejamos,
A força que nos dá a Natureza,
É superior
A tudo o que nos força á quietude,
Ao deixar correr,
Á falta de virtude...

Mais!
Se queremos prolongar o nosso Amor
(Que sabemos nosso
E o temos como ideal),
Levantemos os olhos
E ganhamos, num instante,
Força tal,
Que arrosta perigos ou direitos,
Derruba e ultrapassa preconceitos
Na mais inocente lealdade...

Acredito!
Por isso luto e lutarei.
E tu?
Tu sabes o que eu sei?


SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Adentro do Coração



 


Simplicidade,
É revelação do que, em ti, existe;
A verdade,
A palpitação que não resiste
Ao fogo que nos queima a Alma
E nos funde num só Ser.

Não estamos no caminho errado.

Eu sempre estou apaixonado
E a Alma não se mede,
Não se pesa,
Não se palpa.

A Alma apenas nos pede,
Que sigamos a vocação
De escutar
Adentro do Coração!



SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Até onde eu for




 


Indescritível
Sonho ou vivência!
É alegria do Céu
Que os teus pés pisaram,
Teus braços repousaram,
Como núvem,
Como véu...

A neblina desfez-se
No calor do teu olhar
E surgiste transparente,
Angelical...
O Ser que sempre sonhei
Tornou-se vivo e real.

Irresistível,
Na carícia macia
Das flores,
Que roçavam nos meus lábios
Num Hino de Primavera imperecível.
Floriu feliz,
Dançou em todo o meu Ser
E senti-me estremecer
Adentro do rubor do teu rosto,
Tão a meu gosto.
Foi despertar suave e doce,
Fosse do que fosse,
Mas vivi, um momento todo Amor.
Desejo-o vivo
E com tal paixão
Que não possa caber no coração,
Mas vá até onde eu for.



SOL da Esteva

Etiquetas: , ,