SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 13 de Setembro de 2014

Privação







Nada mais há, no peito, que a saudade,
Não do tempo, de ti, que eu anseio,
Mas de abraços que são realidade,
Não fôra haver vazios de permeio...

Eu sofro e sofres! É essa verdade
Que nos afasta ou une, ou tem no seio;
É tanta que nos queima a mocidade,
Da pouca que nos resta do passeio.

Lamento, por nós dois, essa tristeza
Que a outros corresponde a pouca sorte...
Proclamo-o, sentido: antes a morte

Que dê a cada um sua leveza
E não oprima tanto o coração
Que, lento, se esvai em privação...



SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

sábado, 6 de Setembro de 2014

Ninguém é igual a ninguém





Sempre escrevi o que sinto,
Seja, ou não, apreciado.
Não gosto (nisso não minto)
De receber, por recado,

Frases vazias e ocas,
Sem conteúdo formal.
Calem-se, todas as bocas
Que usam o seu sinal

P'ra guiar o meu caminho,
No rumo do desalinho.
Não é honesto, tal desdém,

No exercício de ler
Aonde se vá beber.
...Ninguém é igual a ninguém.


 

SOL da Esteva

Etiquetas: ,

sábado, 30 de Agosto de 2014

Plenamente




 



Saber-te, de outra parte, requestada,
Sobra ciúme, dor e desalento.
Saber-te apenas minha, desejada
Por única visão do pensamento,

Fica o conforto de te ter amada
E ser querido, em ti, tal sentimento;
Lembrança, que jamais é apagada
Dessa memória, triste, dum momento.

O juramento livre que tomamos
Na consciência plena do que somos,
Vem arrasar o Mundo que pisamos.

Libertos do tormento e do terror
Ainda nos sentimos, como somos,
Vivendo, plenamente, o nosso Amor.



SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

sábado, 23 de Agosto de 2014

Inocentes




 


Acabo de encontrar o novo tempo
Que o sonho, tão de perto, sonegou.
Recordo a amargura,
Dias longos
E horas sempre lentas
Na espera ansiada...
Tudo o que passou,
Não foi nada.

Agora,
Regressada, das brumas do silêncio,
Em asas de brancura
Imaculada,
Como magia de Fada,
Cresce a Primavera, na ternura.

... A tanto não chega a Natureza,
Florindo em ramos secos,
Frágeis no desejo,
Quebradiços do gelo que os cobriu,
Que se comparasse a um beijo
Saído dos lábios, inocentes, de Criança,
No Amor, á mãe que nunca viu.

 


 SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

sábado, 16 de Agosto de 2014

Comungantes







Confusão primitiva da origem do Ser!...
Babel de sentimentos,
Risos,
Troças,
Amores,
Ódios ou pudores.

Muito do passado
Que nos foi tão puro,
Na amálgama
Da nossa identidade,
Se perdeu.

Ao buscarmos na mente
O valor imenso
De tanta pureza,
Sentimos,
Da gentalha,
Esgares pungentes
De metralha;
Dedos apontados,
Acusadores,
Insensíveis,
Iguais a outros mais,
Alcandorados na ciência do saber...

...Retraídos,
Ficamos com a verdade plena,
Mas sem coragem de dizer
Que a Alma é inocência
Bem cheia de Amor.

Oh, se acordássemos
De tanta letargia,
Saberíamos ficar transparentes,
Invisíveis amantes,
Crianças na simplicidade.

Seríamos
Nós mesmos,
Os presentes
Da festa e da alegria,
A taça do Amor,
Os comungantes
Em tão feliz realidade.

 


SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

sábado, 9 de Agosto de 2014

Açucenas





 


Leva contigo uma paz serena
E a lembrança do que cá ficou.
Leva contigo minh'Alma, sem pena
Do tempo comum que já nos passou.

Leva mais, Amor, mais uma centena...
Uma flor, na boca, desabrochou
Por cada beijo; e a Alma serena,
Feliz ou triste, logo sossegou.

Foi, homenagem, como despedida
Antes de voar, antes da partida
Para a lonjura de uns dias, apenas.

Se eu voasse com a companhia
De ti, jamais na vida saberia
Se os teus beijos eram açucenas.



SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

sábado, 2 de Agosto de 2014

Falando sozinho





 

Porque falas comigo?
Eu, não sou nada!
Vê o pó
Que em mim repousa,
As teias que me atam,
A negrura dentro do meu rosto...

Descubro algo
No diálogo que há em nós:
Eu, o nada que te escuta
Com o Coração,
Sentindo viver um sonho,
Onde és, Divinamente, grande!...

Escuto-te com Amor,
Com ardor,
Com pureza...
Mas, no meu pensamento,
Sinto-me pulsar
Abrindo o caminho
Que devo trilhar.

De repente,
Acordo com a tua simplicidade.
Então me descubro 
Falando sozinho,
A ouvir o supremo Amor.



SOL da Esteva

Etiquetas: , ,