SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 20 de maio de 2017

Noite de Poetas



Noite,
Que foi encantamento,
Na comunhão
De Almas
Num igual caminho.

Noite de descoberta
Da identidade,
Com arte nas palavras

De via aberta, de mansinho,
Mas com avidez do coração.

Noite da alegria
Em que entendi a Poesia,
A música,
O nascer do dia...

Não quero morrer
Sem contar mil e uma noites
De Poetas,
Entre os cristais do sonho
E fantasia.

Prefiro vivê-las, assim,
Algo desinquietas...


SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

sábado, 13 de maio de 2017

Amor platónico




Angustia-me a falta de esperança,
Pois perco Fé, o Amor e a minha Vida.
Resta-me a imagem, que não foi esquecida
Que era sonho, ímpar, de criança.

Nunca pesou manter a aliança,
Porque é vontade mútua consentida,
Embora a minha Alma, enegrecida,
Não creia na humana confiança.

Por tudo ser dever, a sujeição
Não pode mergulhar o coração
Num mundo de silêncio abominado.

Eu morro, revivendo esse instante
De graça viva e riso fascinante,
Que foi Amor platónico passado.



SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

sábado, 6 de maio de 2017

Dia da Mãe




A minha Mãe, já partiu!
Deixou-me saudade e dor.
Quem nunca assim o sentiu,
Ainda goza esse Amor.

Acarinhar, é tão bom,
Como o conforto que cria.
Ser-se Mãe, é ter um Dom
E, ser seu Filho, alegria.

Quem me dera nos seus braços,
Em seu colo de aconchego
Sob a sua protecção!

Tenho a Alma em pedaços
Por aquela a quem me achego
Adentro da solidão.


SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

sábado, 29 de abril de 2017

Verdade esconsa




Não sei como será uma intenção,
Quando não há vontade de cumprir
Aquilo que se anseia do porvir
E onde se guardou o coração.

Não sei se as promessas são, ou não,
A troca de favores, para servir
O ser mais desprendido, se o sentir
Maior loquacidade na oração!

E não se aceita, seja tão bisonha
A Alma que, sinceramente, sonha
Mesmo que paire acima das montanhas.

Tão só que a tendência do mortal
É pôr na boca a frase principal,
E a verdade esconsa nas entranhas.



SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

sábado, 22 de abril de 2017

Já tive a minha alegria




Delírio ardente
Num sofrer fremente!
Tenho a Alma cheia,
Alagada de vivência
E fechada
Por não poder dar nada.

Sinto
A pureza do que tenho
(e não minto)
Na percepção
De lutas latentes
No meu interior,
Pela aceitação desejada
Dum sublime Amor.

Sou só
Na convivência dum dia.

Já tive a minha alegria
(Até ruir),
A confiança,
A amizade
E agora a saudade
Mastigada no pensamento
De que a justiça
Já não dá alento.


SOL da Esteva

Etiquetas: , ,