SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 16 de junho de 2018

Não posso...




Não quero escrever
De amor ou de tristeza,
Ódio ou saudade,
Alegria de viver...

Não posso escrever

Como vai a gente,
Porque a Poesia
É fruto de quem a sente
E tem seu modo de ver,

Metas e destinos...

Não se pode criar
Ou escrever
Com indiferença.

Não sei dizer
E desconhecer              
Que, cá dentro,
A fúria dum vulcão,
Convulso, tenso ou revolto
Suporta um coração
E o cérebro com que penso...

Não posso! Não posso.

Não posso escrever loucura,
Como a sinto ou leio.
Correria, neste meio,
O risco fácil e inútil
De não me ver compreendido
E ser vaiado
Pela cara que não tenho:
Incoerência ou desdenho,
Aferidos pela gente.

Oh, dor que vestes a Alma,
Inunda, afoga o sentir...


Morte, como te desejo
E ao teu beijo
Que um dia há-de vir.

Não posso escrever mais!
Não posso,
É demais!...


SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

14 Comentários:

Blogger Larissa Santos disse...

Lindo...Lindo..Lindo:))

Hoje: - O meu semblante, perde-se, na melancolia { BC- Poetizando...}

Bjos
Votos de um óptimo Sábado

16 de junho de 2018 às 09:48  
Blogger Jossara Bes disse...

Oi Sol,
Sua poesia é tão linda, tão profunda e verdadeira!
Beijo carinhoso, querido Poeta!

17 de junho de 2018 às 17:53  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
Você pode escrever sim e muito
Poetizar é o seu dom
Estou meio lerda, estou doente.
Beijos no coração
Lua Singular

17 de junho de 2018 às 21:50  
Blogger Maria Rodrigues disse...

Quando a alma está dilacerada as palavras se perdem no tempo.
Maravilhoso poema
Beijinhos
Maria
Divagar Sobre Tudo um Pouco

17 de junho de 2018 às 23:46  
Blogger Célia Rangel disse...

O coração dita... As palavras acontecem... Os sentimentos? Esses, são nossos. Depois de transcritos que cada um tenha sua mensagem... A do poeta já ficou cravada em sua alma. Pode-se tudo, quando se fala de emoções.
Abraço.

18 de junho de 2018 às 01:05  
Blogger Rosemildo Sales Furtado disse...

Amigo Sol! Passando para apreciar mais um dos teus belos poemas. com ênfase para a estrofe abaixo:

Não sei dizer
E desconhecer
Que, cá dentro,
A fúria dum vulcão,
Convulso, tenso ou revolto
Suporta um coração
E o cérebro com que penso...

Abraços,

Furtado

19 de junho de 2018 às 15:42  
Blogger Mariazita disse...

Olá, SOL
De amor ou tristeza, de ódio ou saudade… qualquer um PODE escrever.
Difícil é escrever de esperança no mundo turvo que nos rodeia.
Difícil é escrever de amor quando o ódio espreita a cada canto.
Tu podes escrever do que quiseres. Tens o dom necessário para o fazer. Os teus belos poemas o confirmam.
Mas, por favor, não fales de morte! Não a chames, deixa-a bem longe de ti.
Hoje de manhã li, num blog que visitei, um lindo poema sobre loucura (especialmente loucura de amor).
Deixa a tua loucura extravasar, e que o vulcão mostre a sua fúria!
Isto chega para te transmitir o quanto gostei do teu poema?
Não posso escrever mais… nada.

Feliz Terça-feira e uma boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

19 de junho de 2018 às 15:56  
Blogger Diná Fernandes O.Souza disse...

Olá querido amigo Sol, seja de dor, trsiteza ou alegria, a inspiração dita, o coração obedece e transborda de emoção como um furacão, o poeta timbra no papel e cada leitor interpreta à seu modo.Poema soberbo e profundo!

Votos de uma feliz semana. bjs querido Sol!

19 de junho de 2018 às 16:21  
Blogger A Casa Madeira disse...

Como mesmo disses-tes: "poesia é fruto de quem a sente"
Muito belo.
Não quero escrever mais nada...
Boa continuaçaõ de semana.
PAZ E BEM.

20 de junho de 2018 às 22:49  
Blogger Jaime Portela disse...

Por vezes, escrever também é sofrer...
Excelente poema, parabéns.
Bom fim de semana, caro amigo.
Abraço.

22 de junho de 2018 às 12:47  
Blogger A Nossa Travessa disse...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

22 de junho de 2018 às 23:59  
Blogger Zilani Célia disse...

OI SOL!
SIM, A POESIA É DE QUEM A SENTE, MAS A MAIOR BELEZA DELA É CONCEDER A QUEM A LÊ O DIREITO TAMBÉM, DE SENTI-LA COMO SE LHE PERTENCESSE.
MARAVILHOSO POEMA, AMIGO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

23 de junho de 2018 às 01:43  
Blogger Fá menor disse...

"Não se pode criar
Ou escrever
Com indiferença."
Não, não se pode.

O que a alma sente tem de explodir por algum lugar.

Beijinhos.

23 de junho de 2018 às 11:45  
Blogger CÉU disse...

meu querido amigo,

Não pode, disse k não podia, mas escreveu sobre amor, saudade e dor. Compreendo-o, perfeitamente, mas não fale, nem deseje a morte, pke ela não se esquece de nenhum de nós.

NINGUÉM É INSUBSTITUÍVEL. MEMORIZE, POR FAVOR, ESTA FRASE.

Beijinho e bom fim de semana.

6 de julho de 2018 às 23:12  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial