SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 21 de outubro de 2017

À morte nego a razão




Oiço,
Desde aqui,
As horas badaladas na torre da igreja.
Lembram-me outros sinos,
Outro tempo.
Não o tempo de mim,
Mas aquele que vibra e reclama
Os anos passados,
Os tempos de ninguém
Onde a morte foi raínha,
Minha...

Eu quero viver e morrer!
Viver pelo muito que amo.
Morrer,
Por ser desprezado,
Apagado dos vivos
Com o óbito da desgraça,
Sempre á margem,
A ver o que se passa
Adentro do coração.

Ouço os sinos
Por lamentos do enterro
Que sustento, em mim,
Na morte duma paixão.

É tudo tão vivo e presente,
Que eu à morte nego a razão.



SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

15 Comentários:

Blogger Paula disse...

Wow ao poema, mas wow tambem 'a foto <3

21 de outubro de 2017 às 17:23  
Blogger Fá menor disse...

Por quem os sinos dobram...

Neguemo-nos às dores e abramo-nos às alegrias. Mesmos que os sinos dobrem todos os dias.

Bjs

21 de outubro de 2017 às 21:43  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,Se morrer antes de mim tenha certeza que não o esquecerei.
Na nossa turma tinha jovem que morreu e parece que a enterraram antes dela morrer. Ela ensinava tantas coisas para nós. Acabou
Beijos Sol
Lua Singular

21 de outubro de 2017 às 23:03  
Blogger Célia Rangel disse...

Sinos! Marcas em nossa passagem pela vida: festivos, às vezes, outras, nem tanto, mas sempre marcantes. E, a morte aqui comigo, sempre perde a razão de ser...
Abraço.

22 de outubro de 2017 às 01:00  
Blogger LUCONI MARCIA MARIA disse...

Sol meu grande poeta, mestre da poesia, desculpe se me demoro, mas a vida já há tempos deu uma virada e quase não tenho tempo, mas não esqueço de você nem de teus belos versos, como este que aqui você colocou, lindo e triste, enterrar um amor, acho que não conseguimos, apenas conseguimos fazer com que se cale, fique mudo dentro de nós, te aplaudo de pé, parabéns pela bela obra.

22 de outubro de 2017 às 05:58  
Blogger A Casa Madeira disse...

Há quem celebre a morte; talvez seja outra maneira
de se voltar a celebrar a vida.
Boa entrada de semana.

23 de outubro de 2017 às 22:19  
Blogger Maria Rodrigues disse...

Nostálgico e belo poema.
Boa semana
Um grande abraço
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

23 de outubro de 2017 às 22:29  
Blogger Smareis disse...

Um poema que me deixar a pensar Sol... Os sinos não me trazem boas lembranças. A poesia é muito bonita.
Boa semana amigo!
Um beijo!

23 de outubro de 2017 às 23:45  
Anonymous Arte & Emoções disse...

Assim como na vida, os sinos também celebram os altos e baixos. Belo poema amigo Sol.

Abraços,

Furtado

24 de outubro de 2017 às 02:55  
Blogger Diná Fernandes O.Souza disse...

Olá amigo Sol, a badalada do sino é mística, me faz lembrar tempos idos, ado falecia alguém na minha cidade, o sino tinha que badalar 9 vezes anunciando a passagem de alguém. Versos soberbos de extrema beleza em sua profundidade poética.
Abençoado dia querida.]Bjss!

26 de outubro de 2017 às 11:45  
Blogger Jaime Portela disse...

A morte faz parte da vida...
Magnífico poema, gostei imenso.
Continuação de boa semana, caro Sol.
Um abraço.

26 de outubro de 2017 às 11:52  
Blogger manuela barroso disse...

Os sinos e o seu toar tão, mas tão melancólico, não distraíram me desta fantástica poesia.Antes revivi os tempos em que o eco descia pelos pinheirais e me entregavam ao meu silêncio. Menina, tão menina, mas sublinhava-me duas coisas: a doutrina e anúncio de partida para outra casa. Morte? Também lhe nego a razão.
Parabéns , querido amigo!
Bjis

26 de outubro de 2017 às 22:48  
Blogger SHON disse...

So lovely!

27 de outubro de 2017 às 17:52  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
Não estou bem de saúde, parei uns dias, mas vou postar só uma vez por semana.
Eu não gosto tablet, uso computador grande nas sala e não posso ficar muito sentada.
Mas, não vou morrer já.
Beijos
Lua Singular

28 de outubro de 2017 às 02:07  
Blogger Majo Dutra Rosado disse...

Gostei muito deste poema, Sol amigo.
À morte negamos sempre razão...
Excelente.
Abraço amigo.
~~~~~~~~

31 de outubro de 2017 às 18:33  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial