SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 2 de novembro de 2019

Desprotegida




 
Já está chegado o tempo
Em que a vida já não dá
Um verdadeiro alimento
Para uma mente sã.

Vai começando a tirar 
Devagarinho, matreira,
O que devia sobrar
Suprindo a vida inteira;

E até esfuma e leva
A saúde e a alegria.
Ainda não sei se deva

Armazenar numa Vida

O que ela nos confia
Sabendo-a desprotegida.



SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

24 Comentários:

Blogger madrugadas disse...

Desenhar a via e colher esperanças.
Belo poema para esta data. Fieis Defuntos - Tudo se esfuma.
Que sobre e permaneça o bem que cada um fez.

2 de novembro de 2019 às 11:24  
Anonymous Alfacinha disse...

Aqueles que nos precederam devem ser honrados. Um poeta com frases animadas, e as almas comuns com uma rama de flores
abraço

2 de novembro de 2019 às 13:30  
Blogger SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

"O que se leva da vida
É a vida que se leva!"
E é desde Adão e Eva
Que essa coisa é concebida.

Brindemos com uma bebida
Esta vida! Se longeva,
De luz, de amor, sem treva,
É uma graça recebida!

Que o Sol bata na esteva
E brindemos com cerveja,
Ao perfume da resina

Dessa aromática planta,
À vida, que nos encanta
Por ser nosso fado ou sina!

Grande abraço, amigo! Laerte.

2 de novembro de 2019 às 13:47  
Blogger Tais Luso disse...

Olá, amigo Sol, esse seu belo poema nos dá a dimensão, nua e crua de toda a verdade, vai nos tirando aos pouquinhos tudo o que nos deu. Mas o que vale é o nosso percurso, pois assim como nos deu esse presente, chega a hora em que retira, e isso, até hoje fazemos força para entender tudo: o que é a vida, afinal, qual seu sentido...
Beijo, um bom domingo!
(deixei a resposta de sua pergunta)

2 de novembro de 2019 às 14:11  
Blogger Daniela Silva disse...

Ela é protegida meu amigo, Deus cuida de cada um de nós, mesmo que muitos não acreditem.

beijinho no coração
danielasilva-oficial.blogspot.pt

2 de novembro de 2019 às 15:10  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Poema muito bonito... Amei!

Beijos. Bom fim de semana.

2 de novembro de 2019 às 15:12  
Blogger Ricardo Valério disse...

Que beleza de poema. Maravilhosos quem sabe poetar assim. Gostei muito
.
Votos de um feliz fim de semana.

2 de novembro de 2019 às 15:23  
Blogger Vanessa Vieira disse...

Viver realmente não tem sido das tarefas fáceis. Mas é sempre tempo de lutar!

Belos versos poeta!
Pensamentos Valem Ouro

2 de novembro de 2019 às 17:42  
Blogger Mariazita disse...

A minha Mãe tinha uma expressão que eu achava muito interessante:
"O tempo o dá, o tempo o tira."
Queria ela significar com isto que há um tempo para receber e um tempo para abdicar.
É o que acontece com a vida, e que tão bem descreves nos teus lindos versos.

RE: A mentira não pode ser encarada de forma tão linear; não podemos esquecer a chamada "mentira piedosa". Quantas vezes menti ao meu Pai quando estava na fase terminal da maldita doença que o levou! Fi-lo engolindo as lágrimas, mas fiz, e ele, felizmente não percebeu (ele nunca soube a doença que tinha, partiu com a ilusão - em grande parte por minha culpa - de que iria viver muitos anos ainda).

Desejo bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS


2 de novembro de 2019 às 18:53  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
Lindo e triste poetar!
Vivemos deixando rastros de pequenas alegrias, muitas saudades e dores.
Esse Mundo me assusta e, espero que o outro seja bem melhor
Beijos no coração
Lua Singular

2 de novembro de 2019 às 22:22  
Blogger Hada de las Rosas disse...

Difuntos queridos mios... viven en mi corazon y mi mente. Ellos amaban tanto vivir... bien, creo que estoy divagando con su poema maravilhoso.... voce e um exemplo de esforco, ilusion e entusiasmo de viver! que seus os dias sean siempre de amor, asi como su vida. Abraco grande

3 de novembro de 2019 às 02:58  
Blogger Agnes Agnieszka disse...

Poems rarely when I like to read your poem has an interesting effect like the loneliness that can be used to create nature in the form of capturing nature photography of the fruit of the portraits of the architect.

3 de novembro de 2019 às 07:10  
Blogger Sinval Santos da Silveira disse...

Poeta, Sol da Esteva !
Uma reflexão poética sobre a vida, coma qual concordo plenamente.
Parabéns !
Uma feliz semana, amigo, e um fraternal abraço,
aqui do Brasil !
Sinval.

3 de novembro de 2019 às 14:22  
Blogger Júlia Evelyn disse...

Concordo!

http://juliamodelodemodelo.blogspot.com/

3 de novembro de 2019 às 23:52  
Blogger La Gata Coqueta disse...

La vida es un regalo y cada amanecer nos lo hace saber...
Seamos agradecidos y disfrutemos de cada segundo como si fuera el último, compartiendo el amor universal que fluye en el seno de todos los corazones hermanos.

Un fuerte abrazo amigo
y un feliz comienzo de semana!

Mari

4 de novembro de 2019 às 09:49  
Anonymous Arte & Emoções disse...

É isso amigo! O tempo passa e com ele segue também um pouquinho da vitalidade em doses homeopáticas. Belo soneto! Lembrei-me de uma baboseira que escrevi, e diz o seguinte:

“A vida é como uma guerra dividida em inúmeras batalhas, onde ganhamos umas, perdemos outras, e assim vamos lutando até a batalha final, quando a perdemos.”

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado

4 de novembro de 2019 às 13:31  
Blogger Sinval Santos da Silveira disse...

Nobre Poeta, Sol da Esteva !
Muito agradecido por fazeres parte do rol
de seguidores do meu blog, "coração tagarela",
Fico muito honrado, Amigo !
Um fraternal abraço, aqui do Brasil !
Sinval.

4 de novembro de 2019 às 21:33  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol
A vida é assim como uma escada alta a qual subismo correndo, mas depois para descer precisamos de ajuda.
Linda e real poesia
Beijos no coração
Lua Singular

7 de novembro de 2019 às 04:42  
Blogger Olinda Melo disse...

Caro Sol da Esteva

A Vida essa ingrata! Depois de tanto tempo a fazer a caminhada
juntos, chegados a esse ponto da estrada ela abandona-nos. Como bem diz, meu amigo, deixa de nos prover em alimento para a continuação de uma mente sã. Mas também ela fica desprotegida, pois para continuar
também precisaria do nosso contributo.

Um belo poema que nos leva a uma reflexão sobre o que ainda podemos
fazer com o tempo que nos resta.

Abraço

Olinda

7 de novembro de 2019 às 09:40  
Blogger Leninha Brandão disse...

Meu querido amigo Sol !!!
A vida nos presenteia na mais tenta idade, depois na juventude e na idade adulta...no outono das nossas vidas ela tenta nos "tirar o tapete"... temos que ter jogo de cintura e tentar dribá-la. É o que tenho feito. Bjsss

7 de novembro de 2019 às 17:17  
Blogger Leninha Brandão disse...

Corrigindo: tenra

7 de novembro de 2019 às 17:18  
Blogger Jaime Portela disse...

Toda a vida é assim mesmo...
Magnífico soneto, como sempre.
Caro amigo, um bom fim de semana.
Abraço.

8 de novembro de 2019 às 10:14  
Blogger Fá menor disse...

A vida encarrega-se de nos desarmar e, tantas vezes, nos amarra de pés e mãos, de uma maneira ou de outra; e ficamos à mercê das ondas que tanto nos podem beijar como bater com força e afogar, ou quase.
Fazer o quê? Sozinhos nada podemos! Confiemo-nos e aguardemos serenamente.

Bom fim-de-semana, amigo Sol da Esteva!

8 de novembro de 2019 às 16:23  
Blogger Vanessa Vieira disse...

Pois é! Temos cuidar sempre para que a vida continue a valer a pena! Nós merecemos isso!

Saudações poeta!

15 de novembro de 2019 às 20:55  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial