SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 6 de julho de 2019

Culpa




Sobre que lençol te deitas
Que te sentes tão cansada
Logo cedo na manhã?
Repousa, Amor e descansa
Que a tanto não se lança
O manto de tanto afã.

Não pensas,
Ou nem sequer queres pensar
Para não aprofundar
Uma razão de viver.
Ou a revolta te cega
No que não queres recordar?

Apenas há a certeza
Do que há no seio teu:
A força imensa de amar.

Se um dia a culpa tua
Vier ao centro da rua,
Ou terás de te erguer
Ou com ela irás morrer.


SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

11 Comentários:

Blogger madrugadas disse...

Hoje estou como o poema. Cansado e adormecido, talvez esquecido de que é preciso viver acordado.

6 de julho de 2019 às 08:39  
Anonymous alfacinha disse...

Cada manha levantará -me dificilmente da cama e até agora o dia termina muito pacífico
abraço

6 de julho de 2019 às 09:13  
Blogger Olinda Melo disse...

Olá, Sol da Esteva

Bom dia

A culpa é uma coisa terrível, é uma sensação de que nos temos de livrar abrindo o coração e chorando todas as lágrimas. Se existe amor o melhor é deixá-lo falar, não há melhor linguagem para nos apaziguarmos.

Bom fim de semana, meu amigo.

Abraço

Olinda

6 de julho de 2019 às 11:04  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Peço desculpa por fazer a visita com mensagem copypast, mas não me tem sido permitido fazer melhor...Não obstante, desejo-vos um excelente fim de semana.
Beijos
VIDA

6 de julho de 2019 às 15:05  
Blogger Hada de las Rosas disse...

Tenho que dizer que seu poema e simplesmente incrivel! Espero que voce continue com esa criatividade tao linda para a alma, algunas poesias me hacen sentir identificada. Bencaos a sua criatividade.

7 de julho de 2019 às 03:54  
Blogger Larissa Santos disse...

Um poema muito bonito :))

Hoje:-Nos trilhos do anoitecer...

Bjos
Votos de uma óptima Segunda-Feira.

8 de julho de 2019 às 13:03  
Blogger Beatriz Bragança disse...

Amigo
Que belo poema!
Amar é um óptimo tema para ser cantado.
Como diz a cantiga, também acho «que nunca se ama bastante, quando não se ama demais».
Um abraço
Beatriz

8 de julho de 2019 às 15:34  
Blogger Sinval Santos da Silveira disse...

Poet a, Sol da Esteva !
Deve ser gigantesca a culp que carrega.
Ao acordar, algum dia, poderá ser a rua
o seu castigo...
Belo poema ! Parabéns, Amigo.
Um fraternal abraço, aqui do Brasil !
Sinval.

8 de julho de 2019 às 15:41  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol
Saudades
Que linda poesia!
Tem um do nato se nos emocionar
Beijos no coração
Lua Singular

11 de julho de 2019 às 20:49  
Blogger Jaime Portela disse...

No amor a culpa nunca morre solteira...
Magnífico poema, gostei muito.
Caro amigo, um bom fim de semana.
Abraço.

12 de julho de 2019 às 12:06  
Blogger Luconi disse...

O amor não deve trazer a dor, amar é divino, fica-se em estado de graça e mesmo sem realizar este amor, é feliz aquele que ama e suspira e se enche e esperança. Lindo e triste poema, bjos poeta

14 de julho de 2019 às 04:40  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial