SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Sem voz


 


Guardo, no meu peito, a esperança,
Tal como a vivo em pensamento.
Firmo as imagens na lembrança
Porque me vem delas, o sustento.

Tenho-te, em mim, por minha herança.
É o doce enlevo que eu recordo...
Sonhe-se loucura, intemperança,
Guardem-se as memórias quando acordo.

Eu apenas posso lamentar-me
De te ter tão perto na distância,
Que sinta o odor e a fragrância,

Percebendo o teu olhar mirar-me
Na meiga ternura de quem ama
E sempre, sem voz, alto me chama.



SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

21 Comentários:

Blogger Larissa Santos disse...

Bom dia. Excelente poema. Parabéns :)))

Hoje:- O acordar da quimera
.
Bjos

Votos de Sábado muito feliz.

24 de fevereiro de 2018 às 09:32  
Blogger Olinda Melo disse...

Mesmo longe, o Amor está presente. O cheiro, as lembranças. O importante é a esperança que permanece. Mesmo sem voz haverá sempre algo que clama e se fará ouvir.

Bom fim de semana, Sol.

Abraço

Olinda

24 de fevereiro de 2018 às 11:07  
Blogger Gracita disse...

A distância nunca foi empecilho para o amor pois aqueles que amam tem no peito a esperança do mágico momento que se dará o reencontro
Soneto maravilhoso, Sol
Beijos e um excelente domingo

24 de fevereiro de 2018 às 20:23  
Blogger Célia Rangel disse...

O despertar de um sonho que fica cravado em lembranças ternas só é possível quando impera a ternura por quem amamos...
Abraço.

25 de fevereiro de 2018 às 00:58  
Blogger FILOSOFANDO NA VIDA Profª Lourdes Duarte disse...

Olá bom dia! Vi seu comentário no blog da Larissa e percebi que eres um grande poeta. Vim conhecer seu blog, parabéns pela linda poesia. Não encontrei a opção segui, mas adicionei aos favoritos. Fique a vontade para conhecer os meus e seguir , caso deseje. Abraços

25 de fevereiro de 2018 às 14:53  
Blogger Ontem é só Memória disse...

Como sempre o poema é lindo!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

25 de fevereiro de 2018 às 15:57  
Blogger La Gata Coqueta disse...

Los recuerdos se hacen presentes y a la vez evidentes cuando a los sueños legan...
Es un dulce regalo que solo a ellos los les pertenecen.

Un abrazo amigo y un feliz día!

Mari

25 de fevereiro de 2018 às 16:12  
Blogger Lu Dantas disse...

Ah a saudade, a distância e o amor que persiste no peito! Que bonito! ;)

beijos!

https://ludantasmusica.blogspot.com.br

25 de fevereiro de 2018 às 18:34  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
Uma poesia triste e linda, eu já não consigo escrever poesias,
Sinto uma saudade imensa de 8 anos atrás. Era Feliz e não sabia, agora que me ama de paixão é a "dor insuportável" que os remédios amenizam um pouco.
Ler sua poesia me faz voltar o tempo.
Maravilhosa poesia
Beijos no coração
Lua Singular

26 de fevereiro de 2018 às 01:24  
Blogger Mulher na Polícia disse...

Bom dia, Sol querido!

Nova semana se inicia com bela poesia.
Um sonho com um novo encontro.
Lindo demais.

26 de fevereiro de 2018 às 12:33  
Blogger Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Maravilhoso.
Boa semana.

Olhar d'Ouro - bLoG
Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

27 de fevereiro de 2018 às 16:08  
Blogger Zilani Célia disse...

OI SOL!
ESTE É O VERDADEIRO AMOR, MESMO NA DISTÂNCIA, PERMANECE.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

28 de fevereiro de 2018 às 02:55  
Anonymous Arte & Emoções disse...

Olá amigo Sol! Belíssimo e profundo soneto, com ênfase para o quarteto abaixo:

Tenho-te, em mim, por minha herança.
É o doce enlevo que eu recordo...
Sonhe-se loucura, intemperança,
Guardem-se as memórias quando acordo.

O amor quando atinge toda a sua intensidade, deixa marcas inapagáveis.

Abraços,

Furtado

28 de fevereiro de 2018 às 12:59  
Blogger Luis Coelho disse...

Não tenho palavras para fazer um comentário.
Simplesmente belo. Magnífico.

28 de fevereiro de 2018 às 14:09  
Blogger SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Sol da Esteva, a esperança
É um atributo do amante
Porque quem ama, o distante
As saudades o alcança

E a alma ao longe se lança
Na busca do amor constante
Que na distância é gigante
E o saudoso, a criança

Que quer porque que o amor
Seja do jeito que for
Ao seu lado simplesmente.

E o desejo sedutor
Eleva mais o calor
Da paixão dentro da gente.

Grande abraço. Laerte.

28 de fevereiro de 2018 às 19:04  
Blogger Maria Rodrigues disse...

As memórias atenuam muitas vezes a saudade.
Maravilhoso soneto.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

28 de fevereiro de 2018 às 22:19  
Blogger A Casa Madeira disse...

As marcas do amor são inseparáveis; são eternas.
Bom começo de mês de março.
PAZ E BEM.

28 de fevereiro de 2018 às 22:31  
Blogger Beatriz Bragança disse...

Amigo Sol
Que belo soneto! A distância, por maior que seja, não diminui o amor.
Um beijinho
Beatriz

1 de março de 2018 às 15:31  
Blogger Simone disse...

Bom dia poeta.
"Na ânsia do encontro das palavras,
me senti perdida e sem voz.
Tentei e a comunicação através dos gestos,
mas me perdi em seus textos. Me calei!
Passeios foram feitos entre as palavras
que, aqui estreitas e bem definidas,
conseguiram me deixar perdida.
Mas ao final de tudo, como sempre,
dancei sobre as tuas rimas, me encontrei!"
Passando para matar as sdds de minha interação
com teus poemas. Aabraços

2 de março de 2018 às 14:29  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol
Não vou mais escrever poesias e escrever de vez em quando.
Tudo que escreve eu adoro
Beijos
Lua Singular

5 de março de 2018 às 21:20  
Blogger co coya disse...

Não tenho palavras para fazer um comentário.
สล็อต ออนไลน์
Gclub

26 de março de 2018 às 05:21  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial