SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 9 de janeiro de 2016

A Dúvida



 


Macia pele, doce amor...
Querer constante na força do destino,
Destino avesso,
Igual a todo o mundo,
Do mundo que conheço,
Onde mergulhei no mais profundo...

Doce Amor, impossível...
Se não fora o meu fervor
E a força da Fé que reparti
Com o teu Ser adorado...

Doce orgia.
Só me lembra a alegria
Num peito despedaçado
Por outra recordação...
Foi assim que aconteceu
Quando o meu corpo nasceu
Já, de ti, apaixonado.

Magia,
Que entretece a Alma
Como cipó escaldante,
Ou fogo, que num instante,
Consome a vida da vida.

Apenas um olhar teu,
Não sei se vindo do Céu,
E revivo novamente,
Na pele macia e doce
Do Amor que é Amor.

Dentro de ti, toda a gente
Sofre o mistério
E sente, num belo sonho,
O desespero de amar,
Sem o querer desvendar...

Sabes,
Eu também sofri a dúvida
Sem saber se estava errado
No caminho já trilhado
E contigo repartido.
Não foi fácil á razão
Submeter-se ao coração
Que, em ti, foi depositado.

Macia pele de beijo,
Submissa numa carícia
Que reflexamente achega.
Pulsa, no peito, a um tempo,
Um coração que sustento;
É um só para dois corpos
Numa vida cheia e leda.

Macia pele nos cobre
Escondendo sofrimento
Que se cerrou dentro dela,
Na formosura aparente...

Ai, Amor.
A dúvida é que nos mata,
Rasgando a Alma da gente!...


SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

23 Comentários:

Blogger Maria Rodrigues disse...

Dúvidas, quem as não tem?
Intenso, apaixonado e belo.
Bom fim de semana
Um abraço
Maria

9 de janeiro de 2016 às 11:46  
Blogger Gracita disse...

Boa noite meu amigo
Dúvidas? Atrozes, corrosivas, dilacerantes quando nos tama de assalto o coração.
Poema intenso, pujante, permeado de vultuosa paixão e belíssimo
Bom domingo!
Beijos e sorrisos

9 de janeiro de 2016 às 23:18  
Blogger Célia Rangel disse...

Li seu poema, com dúvidas do viver de cada um de nós, com as incógnitas que nem sempre as sabemos desvendar, mas com uma certeza: "Um coração que sustento; / É um só para dois corpos"...
Belíssimo!
Abraço.

9 de janeiro de 2016 às 23:25  
Blogger São disse...

O melhor mesmo é não duvidar...ou , caso contrário, cortar de vez com a situação.


Boa semana :)

10 de janeiro de 2016 às 15:23  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Duvidas!
As dúvidas são desespero, são lágrimas que correm desmesuradamente pelo rosto e que deixam marcas no coração.
Por isso, não duvides.
Um abraço cá do Algarve.

10 de janeiro de 2016 às 16:55  
Blogger Elio disse...

Il mio traduttore in questo momento non funziona e quindi non sono in grado di capire tutto quello che hai scritto. Ti assicuro della mia stima per i tuoi poemi e ti invio un caro saluto. Buonanotte.

10 de janeiro de 2016 às 20:19  
Blogger CÉU disse...

Já vêm do tempo de Descartes, pelo menos que me lembre!
Quem não tem dúvidas, sabe e sente sempre tudo, pensam eles, e vocês, personagens do poema e amantes, têm um amor profundo dentro do coração, e não chamem para casos desses a razão. Não se entendem, querido amigo Sol.
Haja inspiração, por vezes com "transpiração", mas o importante é o nascimento do poema. Parabéns!

Boa semana, sem chuva. Queria tanto!

Beijos com estima e apreço.

10 de janeiro de 2016 às 23:44  
Blogger Jossara Bes disse...

Querido amigo, Sol!
Belíssima poesia!
Como diz a musica: "ou isso, ou aquilo?"...
Incerteza constante!
Beijo carinhoso!

11 de janeiro de 2016 às 11:51  
Blogger Mariangela do Lago Vieira disse...

Oi Sol, de volta da minha pequena e gostosa férias, e me deparando
com mais uma de suas lindas inspirações.
E vamos adiante neste 2016 com muita fé e perseverança, e te agradeço por tudo!
Que este ano seja para você e os seus, muito abençoado.
Beijos,
Mariangela

11 de janeiro de 2016 às 11:56  
Blogger Mário Margaride disse...

Mais um belíssimo poema nos trazes, amigo SOL.
Lindo e intenso.
Parabéns!

Abraço e boa semana.
Mário

12 de janeiro de 2016 às 13:18  
Blogger Odete Ferreira disse...

A dúvida faz parte do processo do sentir mas o que importa é sentir mesmo, intensa e docemente.
Lindo, Sol!
Bjo :)

12 de janeiro de 2016 às 13:26  
Blogger Manuel disse...

Duvida? Não tenho. És um magnifico poeta e este poema, que aqui nos deixas, mata todas as dúvidas . Maravilhoso, do melhor que tenho lido. Li e voltei a ler, para levar comigo toda a magia.



12 de janeiro de 2016 às 18:59  
Blogger Evanir disse...

Uma rapida visita significa meu retorno
em breve.
Fico feliz ao receber sua carinhosa visita
vou arrumar uma maneira de responder
a altura seu carinho e amizade.
Eu sempre fui muito presente nos blogs
agora com as coisas se restabelecendo tudo vai ficar
melhor se Deus quiser.
Um beijo carinhoso ..
Evanir.
Um dos mais belos poemas seu que já li amigo Sol.

12 de janeiro de 2016 às 20:40  
Blogger Fábio Murilo disse...

Excelente! Com certeza uma das coisas mias bonitas que já li nos últimos tempos. Muito bom! Abraços!

12 de janeiro de 2016 às 22:17  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
Uma perfeita e linda poesia que doeu até meu coração.
Um beijo no coração
Lua Singular

13 de janeiro de 2016 às 10:23  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

um poema intenso e muito belo.
a dúvida porém,,,,existe e não devia existir.
um beijo

:)

13 de janeiro de 2016 às 15:59  
Blogger Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Maravilhoso poema, divino!
Abraço

Rui

13 de janeiro de 2016 às 18:10  
Blogger MARILENE disse...

O campo do amor não abraça certezas, indefinidamente. A dúvida nele mora porque a alimentamos. Mas isso não impede que o sentir seja enorme e que proporcione alegrias. Abraço.

13 de janeiro de 2016 às 19:52  
Blogger Olinda Melo disse...

É belo quando o amor nos invade o coração e instala-se a confiança e a harmonia. E assim deveria ser sempre.Só assim apreciamos esse lindo sentimento em toda a sua plenitude.

Um poema intenso, caro Sol.

Abraço
Olinda

14 de janeiro de 2016 às 01:22  
Blogger Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, seu poema é fantastico, está bem construido e funciona como uma submissa carícia.
AG

14 de janeiro de 2016 às 15:31  
Blogger Jaime Portela disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

14 de janeiro de 2016 às 20:21  
Blogger Jaime Portela disse...

No amor, a dúvida corrói as entranhas de quem a sente...
Excelente poema, caro amigo Sol. Gostei imenso, como sempre, aliás.
Bom resto de semana.
Abraço.

14 de janeiro de 2016 às 20:22  
Blogger Vera Lúcia disse...

Olá Sol,

Tive que rir de seu comentário. Não é que as férias no Brasil sejam maiores do que em seu País, eu é que estou alongando minha pausa por pura conveniência-rsrs.

O poema é de grande intensidade, como requer o sentimento que o embasa, que é a torturante dúvida, principalmente quando ela nasce em corações apaixonados.

Muito lindo!

Abraço.

15 de janeiro de 2016 às 00:34  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial