SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 17 de agosto de 2013

Última vontade




 

O caudal do meu Amor, sempre constante,
É lamento interior, é Alma triste!...
Tudo passa; tudo vive; tudo existe,
Mas, só quero repousar por um instante.

Mesmo assim, na minha máscara pintada,
Do esgar mais doloroso, sobressai
Desse rosto, um sorriso que se esvai
Ao senti-la, na lonjura desfocada.

Algo mais tem, esta força que 'inda resta,
Que o corpo vai crispando, no alento
Duma farsa feita Vida. Triste festa!

Quero ainda, humildemente, suplicar
A entrega do Amor e sentimento,
Como última vontade, se restar.


 

SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

28 Comentários:

Blogger Fa menor disse...

Nada há de tão bom como o Amor!

Que ele seja sempre uma constante na vida, em todo e qualquer momento.

Bjs

17 de agosto de 2013 às 11:09  
Blogger Mariangela disse...

Querido amigo Sol...mesmo um amor sendo tão forte, mesmo lutando tanto para ir ao seu encontro, mesmo parecendo ser cada vez mais distante e inatingível... a vida vale muito a pena!
Vale lutar por um amor, pela felicidade e descansar...
Muito linda a sua poesia Sol, mas um pouco triste...sem tristezas viu?
Corra atrás da sua felicidade, tenha sempre esperanças!
Um beijo meu amigo e tenha um lindo e abençoado final de semana!
Mariangela

17 de agosto de 2013 às 12:28  
Blogger Célia Rangel disse...

O sentimento do amor é um ingrediente indispensável à nossa vida que nos traz alegria e, ao mesmo tempo melancolia... Sempre fica uma último desejo não concretizado...
Abraço, Célia.

17 de agosto de 2013 às 13:04  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Mesmo que se sinta o amor numa lonjura desfocada, significa que ele existe embora distante.
E eu, não tenho dúvidas que, resta sempre qualquer coisinha para nós chegarmos lá... é a insistência, meu amigo.
Um abraço cá do Algarve.

17 de agosto de 2013 às 14:48  
Blogger Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Sol. Apesar de tudo ter um fim nessa vida, creio que o amor é eterno, ainda que ele seja vivido de um outro lado.
Quando a imagem se esvai, não ocorre por completo, a alma fica viva, os momentos também, e o amor envolve todos eles numa grandiosidade infinita.
Belíssimo soneto.
Tenha um sábado de paz!
Beijos na alma.

17 de agosto de 2013 às 17:44  
Blogger Paulo Francisco disse...

A última ceia.

Adorei: Tudo passa; tudo vive; tudo existe,
Mas, só quero repousar por um instante.

Amigo, um grande abraço

17 de agosto de 2013 às 19:03  
Blogger AFRICA EM POESIA disse...


um beijinho
o meu livro deu trabalho mas valeu a pena estou feliz, pois a vida sem Amor não é vida..

beijinhos

17 de agosto de 2013 às 23:40  
Blogger Olinda Melo disse...


É sempre tempo de amar e ser amado. Há, pelo menos, que ter esta esperança, que é dando e recebendo este lindo sentimento que as pessoas se completam.

Um poema lindo, Sol da Esteva, como sempre.

Abraço

Olinda

18 de agosto de 2013 às 01:28  
Blogger Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Solamigo

E prontos (sem s) lá estás tu a provocar-me e a obrigar-me a teclar um soneto muito pior do que o teu. Mas, nestas coisas motivadas por poesia mestra, um arremedo de vate só dá o que pode (com p...) dar. Por isso aqui fica o desvario:

Uma máscara pintada é sofrimento
Uma razão de ser muito atraiçoada
Uma insatisfação de uma alvorada
Uma constante, quase um lamento

Uma tristeza, sanha, mais um ardor
Uma mentira consentida e banal
Uma ceifa, um vómito intencional
Uma só angústia, um mal de amor

Uma folha de cipreste esventrada
Uma estação do ano, um só lamento
Uma confissão, uma pobre madrugada

Uma dor, um ponto de interrogação
Uma alvorada cinzenta e uma bruma
Uma afronta mitigada, um sim ou não


E não digas que não a este dado. Vai pelo sol que a sombra está quente - essa agora... sombra quente? Aqui há gato...

Abç

Henrique

18 de agosto de 2013 às 03:05  
Blogger Carolina disse...

Boa noite Sol,
amor va brotando entre o ar, e um raio de luz, se sente, se palpa,
amor nos faz sonhar, mas tambem... nos rasga o alma, puede lancarnos de bruces ao ultimo inferno...
seu hermoso poema me inspira :)*
Feliz domingo.

18 de agosto de 2013 às 04:10  
Blogger Jossara Bes disse...

Querido Sol,

"Sol", que canta o amor!
Intenso amor!
Ora, canção que sonha!
Ora, canção que implora!
Não importa! O amor dança na sua poesia!
...E me faz dançar também!
Beijos, Poeta!

18 de agosto de 2013 às 15:35  
Blogger Dorli disse...

Oi Sol,
Um soneto triste de um amor que se esvai...Ele nunca acaba, descansa.
Tudo na vida tem um tempo, é agarrá-lo com toda a intensidade do nosso amor.
Beijos
Bom domingo
Lua Singular

18 de agosto de 2013 às 17:06  
Blogger Gracita disse...

Boa noite amigo Sol
O amor é o que nos fortalece e nos incita a viver a plenitude deste soberbo sentimento. A vida sem amor é deserto carregado de dor.
Que o sussurrar do vento te leve um beijo carinhoso e me deixe em seus pensamentos para que a distância não apague o carinho da minha amizade.
Gracita

18 de agosto de 2013 às 22:48  
Blogger Cristina disse...

Un corazón bondadoso y tierno siempre merece ser amado... melancolía que viste tus letras Sol, pero siempre al final del camino está la esperanza.
Un placer pasar a leerte siempre, te dejo un fuerte abrazo.
Buen comienzo de semana!

19 de agosto de 2013 às 02:23  
Blogger Lilá(s) disse...

Mais um soneto triste, mas lindo como sempre!
Bjs

19 de agosto de 2013 às 23:53  
Blogger Fco Manuel Marcos Roldán disse...

Sensible, tierno, bello... podría añadir más palabras que afirmaran el poema. La tristeza forma parte de la vida, de nuestra cotidianeidad, nos acompaña en cada paso. Es bello poder expresarse así.

Un saludo

21 de agosto de 2013 às 13:02  
Blogger Dolce disse...

Vi consiglio di leggere la mia lezione di scrittura creativa "COMO ESCREVER POESIA ERÓTICA".
Saluti,
Architteto Dolce Filiberto di Savoya, PhD

21 de agosto de 2013 às 19:38  
Blogger ONG ALERTA disse...

O amor é tudo, abraço Lisette.

22 de agosto de 2013 às 00:45  
Blogger Manuel Luis disse...

No amor não à ultima, apenas desfoca.
Abraço

22 de agosto de 2013 às 00:48  
Blogger Simone MartinS2 disse...

"A vida nos empurra
para usarmos nosso
rosto como mascara
que disfarça e engana
nossa alma...Se felizes,
se tristes, a verdadeira
mascara será a nossa face
exposta e destemida diante
de tanto sofrimento...por amor!"

Adoro quando me visita...obrigado pelo carinho.

22 de agosto de 2013 às 00:57  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

achei este soneto muito nostálgico.
tens de dar mais um pouco de cor.
mas está bem construído como sempre.
deixo um beijo de amizade

:)

22 de agosto de 2013 às 09:26  
Blogger Olinda Melo disse...


Amigo Sol

Lendo e relendo este seu belo poema.
Obrigada pelas preciosas palavras que me deixou no Xaile de Seda.

Grande abraço.

Olinda

22 de agosto de 2013 às 13:08  
Blogger Dorli disse...

Oi Sol,
Passando para agradecer os comentários no meu blog.
Beijos no coração
Lua Singular

22 de agosto de 2013 às 16:36  
Blogger Marcia Morais disse...

O amor e o desespero,de mãos dadas com o fim.
Beijos !

22 de agosto de 2013 às 16:46  
Blogger Nati Caetano disse...

Oi Sol!

Te encontrei,entrei no blog da Madrinha Evanir, e vim aqui.

Como sempre, seus poemas são maravilhosos.

Na vida sempre há uma última vontade.
Um sorriso que se esvai-se, alma triste que fica, mas a vontade do querer um Amor, num último dia que restar é sempre bem vindo

Magnífico!!

Amigo, vou linkar seu blog lá no meu Ok.

Eu entro um pouco, depois vou indo aos poucos nos blogs. Vou indo devagar e sempre.


Uma boa tarde para você.

Beijos Carinhosos.




22 de agosto de 2013 às 20:28  
Blogger Evanir disse...

Mesmo , que esteja vendo a vida preto branco.
Olhe para o céu veja o inifito azul onde quem
tem fé no criador encontrara coragem e força para passar
pelas tribulações.
E a noite se emocione com a beleza da lua e do céu estrelado.
Em cada estrela vera um anjo zelando e olhando por você ..
enquanto a lua ilumina sua linda alma
veras como pode ser feliz na graça e na presença de Deus.
E muito carinho eu trouxe para você , que tanto amo.
Beijos na alma afagos no coração.
Evanir.
PS: fico triste em não poder informar
como anda minha vida;
Basta vc notar minha ausência creio ,
que já diz tudo.
Eu não ando nada bem .
Deus abençoe seu final de semana
paz e luz.
Meu amado amigo embora muito triste não deixei de ler seu poema
na verdade nunca deixo de ler.
Acredite seu poema veio de encontro com minha ama triste.

22 de agosto de 2013 às 22:12  
Blogger Zilani Célia disse...

OI SOL!
UM AMOR "DAQUELES" QUE SÃO MAIS FORTES QUE A PRÓPRIA VIDA...
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

22 de agosto de 2013 às 22:23  
Blogger La Gata Coqueta disse...



Gracias por continuar iluminando mi jardín con la sonrisa de tus letras. Todo un honor para quienes creemos en el afecto y la amistad, abriéndole las puertas para que sigan creciendo e inundando los ❤ ❤ de confianza y comprensión.

Atte.
Un beso de quien te escribe
Carmen Fernández


23 de agosto de 2013 às 11:19  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial