SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 9 de março de 2013

Breve sofrimento








Nas tuas palavras, deixo-me chorar,
Fica a amargura que me rói o peito;
Que não são ciúme, antes o despeito
P'la vida vazia que há-de terminar.

Não devo chorar. Não serás, mais, minha.
Até, sinto fundo, um dia estarás
Do mal esquecida e bem me trarás 
Por não desejares a vida sozinha.

E antes de tudo, essa solidão
Que tanto desejas, fugindo do Mundo,
É a grande prova da tua afeição.

E porque conheço o teu pensamento,
Que quer esconder o sentir mais profundo,
Saberei que é breve esse teu sofrimento.


 



SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

27 Comentários:

Blogger Carolina disse...

Tristeza de amor perdido, nao correspondido... mais vamos superar.
Abraco, Sol.

9 de março de 2013 às 02:36  
Blogger Fred Caju disse...

Esse SOL ilumina demais!

9 de março de 2013 às 02:55  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Perdeste-a?
Não, enquanto amor vibrante cá neste mundo terreno.
Depois, sim, mas fica sempre a marca profunda quando olhas para o infinito, não vês nada, mas vês tudo, esse amor que tanto "gritas".
Um abraço cá deste meu Algarve.

9 de março de 2013 às 13:40  
Blogger Maria Rodrigues disse...

A solidão nunca é boa companhia, ela encerra em si a dor e não deixa entrar a esperança. Que seja sempre breve a caminhada dos que estão sós. Lindissimo poema.
Bom fim de semana
Beijinhos
Maria

9 de março de 2013 às 18:03  
Blogger Jossara Bes disse...

Oi Sol,

"O sentir mais profundo"!
Esse sentir que só você conhece, tal qual descreves,
tal qual pulsa teu coração!
Lindo demais!
Beijos, Poeta do amor!

9 de março de 2013 às 18:45  
Blogger Lilá(s) disse...

Mesmo com sofrimento este poeta vai, acalentando o nosso coração com tanta poesia linda!
Bjs

9 de março de 2013 às 23:56  
Blogger Manuel disse...

Caro amigo, mais um sentido e inspirado soneto na linha a que nos habitou.
Anda sempre no ar o amor, a procura e o desejo imenso da paixão.

Um abraço

PS
Julgo que tem uma troca de letra no há-se, ou estou enganado?

10 de março de 2013 às 21:10  
Blogger ONG ALERTA disse...

O sofrimento também inspira abraço Lisette.

11 de março de 2013 às 01:00  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

penso que tem um lapso na palavra ha-se
achei o soneto muito triste

uma boa semana

um beijo

:(

11 de março de 2013 às 08:31  
Blogger Mariangela disse...

Apesar da tristeza da separação, fica a certeza de um forte amor, que por ser recíproco, breve retornará!
Muito lindo!
Beijos,
Mariangela

11 de março de 2013 às 11:31  
Blogger Elvis Presley Mania disse...

Belíssima poesia, tocante... amei!
Beijos amigo :)

11 de março de 2013 às 19:11  
Blogger Cristina disse...

Con esas hermosas palabras todo se puede! Hermosamente conmovedora.
Te dejo un fuerte abrazo!

11 de março de 2013 às 22:35  
Blogger Zilani Célia disse...

OI SOL!

BELO POETAR E O FAZES COM A ALMA...
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI

12 de março de 2013 às 02:16  
Blogger Dorli disse...

Oi, Sol!
Quando nos apartamos sempre teremos sempre alguém num barco à deriva para nos resgatar.
Sua poesia linda deixou meu coração amargurado.
Beijos
Lua Singular

12 de março de 2013 às 20:27  
Blogger Dorli disse...

Oi, Sol!
Você com sábias palavras descobriu meu segredo: fui itinerante no trabalho, nunca estava satisfeita, mas com muita sorte em concursos, consegui rechear duas carteiras profissionais, agora com o cansaço parei minhas idas e vindas, mas minha cabeça tem que continuar ativa até o dia da minha morte.
Do meu jeito estapafúrdio, sempre fui uma mulher de muita sorte.
Beijos
Lua Singular

12 de março de 2013 às 20:33  
Blogger ELAINE disse...

Querido amigo Sol! Muito obrigada pelo carinho! Tua poesia é linda e profundamente triste...Um lamento de amor... Uma abençoada semana!
Abraço carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

13 de março de 2013 às 00:11  
Blogger fus disse...

Unos versos profundo y triste, es un quejìo de dolor por amor.
Enhorabuena

un abrazo

fus

13 de março de 2013 às 01:12  
Blogger vieira calado disse...

Bem escrito,, esse seu soneto!
Um abraço!

14 de março de 2013 às 00:59  
Blogger Luís Paz disse...

Eis minha pergunta: Já escrevestes (publicastes) algum livro?
Se já o fizera, diga-me qual por gentileza *-*
(isso deve resumir os elogios)

Com a faculdade não tenho tido tanto tempo quanto antes pro blog, mas logo terá post novo (e até foto nova do avatar). Te aguardo pra uma visita e um comment no meu último post *-*

14 de março de 2013 às 04:10  
Blogger Rita disse...

Um poema bonito
E que seja breve o sofrimento
Adorei as palavras perfeitas
Bjuss
Rita!!!

14 de março de 2013 às 14:27  
Blogger ॐ Shirley ॐ disse...

Belo e profundo soneto, Sol. Beijos!

14 de março de 2013 às 20:48  
Blogger Nilson Barcelli disse...

A tua criatividade poética nos sonetos é incrível.
Este, é mais um em que foste magnífico.
Um abraço, caro amigo.

14 de março de 2013 às 22:48  
Blogger Simone MartinS2 disse...

Boa noite amigo.
"Escondo-me na solidão
porque ela e a minha
unica companheira e que
me entende..."

Obrigada pelo carinho
sempre tao gentil e
sincero.

15 de março de 2013 às 02:16  
Blogger ana costa disse...

A solidão não trás só sofrimento, muitas vezes ela é necessária...
o sofrimento também... ajuda a crescer...
beijo amigo

15 de março de 2013 às 11:12  
Blogger Teresa Almeida disse...

O sol tornará breve esse sofrimento.

Belíssimo poema, como todos os que escreves.

Beijo.

15 de março de 2013 às 14:41  
Blogger Mariazita disse...

Querido amigo
Penso que a poesia é sentida muito de acordo com o nosso estado de alma.
Este soneto, com uma grande carga de tristeza,deixa transparecer esperança num futuro não muito longínquo.
Talvez por isso acalmou o meu coração, hoje especialmente melancólico.

Óptimo fim-de-semana.
Beijinho GRANDE

15 de março de 2013 às 16:46  
Blogger Manuel disse...

Voltei a ler este soneto. mantenho as minhas palavras.
Boa semana caro amigo!

15 de março de 2013 às 21:19  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial