SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 13 de maio de 2017

Amor platónico




Angustia-me a falta de esperança,
Pois perco Fé, o Amor e a minha Vida.
Resta-me a imagem, que não foi esquecida
Que era sonho, ímpar, de criança.

Nunca pesou manter a aliança,
Porque é vontade mútua consentida,
Embora a minha Alma, enegrecida,
Não creia na humana confiança.

Por tudo ser dever, a sujeição
Não pode mergulhar o coração
Num mundo de silêncio abominado.

Eu morro, revivendo esse instante
De graça viva e riso fascinante,
Que foi Amor platónico passado.



SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

16 Comentários:

Blogger Majo Dutra disse...

Brinda-nos hoje com um soneto belíssimo,
estimado amigo!
O amor platónico não correspondido pode
ser um sofrimento adorado...
Dias felizes, Sol Amigo.
Beijo
~~~

13 de maio de 2017 às 11:11  
Blogger Paula McGill disse...

Lindo :-)

13 de maio de 2017 às 17:02  
Blogger Luis Coelho disse...

Angustia-me a falta de Fé.
Sem Fé não existe esperança

14 de maio de 2017 às 05:51  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
Lindo soneto
Beijos
Lua Singular

14 de maio de 2017 às 13:29  
Blogger Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

A Fé será sempre a última a ir embora...
Abraço

15 de maio de 2017 às 11:21  
Blogger Fá menor disse...

O passado serve, sobretudo, para nos iluminar o presente; nunca deixemos que o enegreça.

Boa semana!
Bjs

15 de maio de 2017 às 12:41  
Blogger manuela barroso disse...

O soneto corre tão levemente como a suavidade do amor platónico que nem sempre faz feliz, se não con (sentido)!
Belíssimo esse correr da pena com tal maestria!
Fraterno abraço, Sol! :)

15 de maio de 2017 às 23:03  
Anonymous Arte & Emoções disse...

Olá amigo! Eis que mais uma vez, nos presenteias com um belo soneto.

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado.

16 de maio de 2017 às 00:51  
Blogger Mulher na Polícia disse...

"Embora a minha Alma, enegrecida,
Não creia na humana confiança."

Me identifiquei.

: (

17 de maio de 2017 às 14:10  
Blogger CÉU disse...

Olá, estimado Sol!

Hoje passando não para comentar, visto o momento não ser o mais propício.

Quero lhe comunicar que a LENINHA do blogue "Vastidão de Mim" foi hoje de manhã submetida a uma inesperada e mto delicada cirurgia. Peço o seu olhar para ela e para o sucesso do resultado.

Beijos e mto agradeço.

19 de maio de 2017 às 00:13  
Blogger Nadine Granad disse...

Oi, Sol!

Coincidência! No início do mês escrevi sobre platonismo...
Lindos versos! As idealizações e os buracos a serem preenchidos, inquietações d'alma!

Beijos! =)

19 de maio de 2017 às 12:24  
Blogger Jaime Portela disse...

Excelente soneto.
Gostei imenso, como sempre.
Bom fim de semana, caro amigo Sol.
Abraço.

19 de maio de 2017 às 12:48  
Blogger La Gata Coqueta disse...

Un abrazo desde la distancia pero muy cercano desde el corazón!!

19 de maio de 2017 às 18:20  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
Tudo na vida passa e os amores platônicos também.
Êta tempo bom onde as flores e a chuva nos dorriam.
Beijos
Lua Singular

19 de maio de 2017 às 20:35  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol
Desculpa o erro: dorriam : sorriam
Tô cega.kkk
Beijos
Lua Singular

19 de maio de 2017 às 20:38  
Blogger Maria Rodrigues disse...

Saudoso e belo poema.
Bom fim de semana
Um abraço
Maria

19 de maio de 2017 às 21:10  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial