SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 22 de abril de 2017

Já tive a minha alegria




Delírio ardente
Num sofrer fremente!
Tenho a Alma cheia,
Alagada de vivência
E fechada
Por não poder dar nada.

Sinto
A pureza do que tenho
(e não minto)
Na percepção
De lutas latentes
No meu interior,
Pela aceitação desejada
Dum sublime Amor.

Sou só
Na convivência dum dia.

Já tive a minha alegria
(Até ruir),
A confiança,
A amizade
E agora a saudade
Mastigada no pensamento
De que a justiça
Já não dá alento.


SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

16 Comentários:

Blogger Maria Rodrigues disse...

Saudades de um amor que tocou profundamente a alma e o coração.
Maravilhoso poema
Beijinhos
Maria

22 de abril de 2017 às 15:55  
Blogger Paula disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

22 de abril de 2017 às 22:50  
Blogger Paula McGill disse...

:-D :-D :-D

22 de abril de 2017 às 22:55  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
A vida é cruel conosco, pois quando envelhecemos, idade que poderíamos passear vem a maldita doença.
Sofremos desde o nascimento
Uma linda noite!
Lua Singular

22 de abril de 2017 às 23:01  
Blogger Célia Rangel disse...

Crudelíssimo "mastigar a saudade no pensamento"...
Momento de muita reflexão...
Abraço.

22 de abril de 2017 às 23:31  
Blogger Nadine Granad disse...

Oi, SOL!
Lindo, lindo...
... Que a alma fique leve e voe... A saudade é chave que nós mesmos dominamos, ou não...
A sinceridade íntima transparece nos versos!...

Beijos =)

23 de abril de 2017 às 13:31  
Blogger Mirtes Stolze. disse...

Que poema lindo e tocante. A vida tem seus altos e baixos, temos tanto sentimentos ao decorrer da vida. Mas a saudade é algo que doer demais. Mas felizes são os que tem uma boa saudade para recordar. uma linda semana. Abraços.

23 de abril de 2017 às 22:46  
Blogger Majo Dutra disse...

Saudades profundas de um grande amor que a vida separou...
Amigo, o seu poema é de de uma expressividade tocante e muito bela!
Ótima semana, Sol.
Abraço
~~~

24 de abril de 2017 às 09:22  
Blogger Fá menor disse...

Tocante.
Quantas vezes carregamos assim as nossas dores...
Mas que a pureza do que temos seja o nosso alento!

Boa semana, amigo!

Bjs

24 de abril de 2017 às 19:17  
Blogger LUCONI MARCIA MARIA disse...

Boa noite grande poeta que me encanta toda vez que aqui venho, belos versos, tristes, fala da saudades de uma alma que caminha sozinha, bem conheço esta saudades, mas me sinto abençoada por tê-la feliz de quem tem, triste o ser que na solidão não tem de quem sentir saudades, bjos

25 de abril de 2017 às 04:46  
Blogger Luis Coelho disse...

E que dizer nesta madrugada
Quando o Poeta nos abre a porta
E as palavras se soltam
Banhando-nos de felicidade?
Foi apenas a alegria de tão bela Alvorada.

25 de abril de 2017 às 05:50  
Anonymous Arte & Emoções disse...

Olá amigo! Belo e profundo o teu poema.

Abraços,

Furtado

25 de abril de 2017 às 20:21  
Blogger La Gata Coqueta disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

26 de abril de 2017 às 20:01  
Blogger Olinda Melo disse...

Um certo desencanto, uma sensação de injustiça, e a solidão na compreensão de algo muito importante, sobressaem do poema de forma muito sentida.

Daqui te saúdo, Sol, meu amigo.

Abraço

OLinda

26 de abril de 2017 às 22:09  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol
Obrigada pelo carinho
Talvez eu volte, talvez não
A vida é cruel.
Tô cansada
Beijos
Lua Singular

26 de abril de 2017 às 23:30  
Blogger Jaime Portela disse...

Mais um excelente poema, como é teu hábito.
Gostei imenso.
Bom fim de semana, caro Sol.
Abraço.

28 de abril de 2017 às 10:39  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial