SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 11 de junho de 2016

Tempo de agora




Muitas horas de intensa solidão,                         
Que avalio, no meu coração,
Sem as poder ganhar pela atitude.
Sempre é de dor, aquela decisão
De partir só, por crua desvirtude
A te deixar jazer num ataúde.

Mas sabe, Amor, me dói o sofrimento
Do que te atormenta no momento,
Sem querer mostrar-te estar sozinho.
Estará em ti, o meu pensamento
(Não um anseio vão e pequenino)
E força, que descende do destino.

Muitas horas... e a solidão é plena,
Que, só, por um Amor será serena,
Sustendo o que, em nós, é um desejo.
O tempo te dirá, minha pequena,
Tens a Vida inteira e o doce ensejo
De me teres, em ti, no mel de um beijo.

Não desarmes esse ar natural
Que se tornará teu guia leal,
Como se, Mundo, não mais existisse.
Podes flutuar, pairar, ser igual,
Esconder no teu riso o que se visse,
Porque foi Amor, que assim o predisse.

Tempo esquecido, amado, desejado;
Tempo de outros, por eles fechado;
Tempo sem nada que não seja o ar;
Tempo de agora, tempo amargurado
Por poder ser só nosso num olhar
Sem ser o tempo que o vá acabar.


SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

11 Comentários:

Blogger Unknown disse...

Boa tarde



Vimos por este meio convidá-lo a participar em mais uma Colectânea Arte pela
Escrita, contando desde já com a sua valiosa colaboração em mais uma festa
das palavras e dos afectos.

Em anexo segue o regulamento desta “Coletânea Arte pela Escrita Nove", ou
também o pode consultar em:
http://www.escritartes.com/forum/index.php/topic,36218.msg131109/topicseen.html#new

Atenciosamente

Administraçaõ EscritArtes

11 de junho de 2016 às 17:33  
Blogger Odete Ferreira disse...

E é sempre o agora o que se deve viver intensamente...
Uma vez mais, registo o meu apreço pela tua perfeita estrutura poética, sendo que, nela, o conteúdo é desenvolvido com naturalidade e fluidez.
Bjo, amigo :)

12 de junho de 2016 às 01:15  
Blogger Célia Rangel disse...

Amor eterno em reflexão duradoura!
Abraço.

12 de junho de 2016 às 19:47  
Blogger Gracita disse...

O verdadeiro amor é eterno!
Lindíssimo poema amigo Sol
Uma linda semana para você
Beijos

13 de junho de 2016 às 13:09  
Blogger lua singular disse...

O Sol,
Nunca amei, mas de repente o amor floriu na minha vida, talvez seja o medo de morrer e tudo acabar.
Sol, sua poesia é um conto que saiu do seu coração em forma de poesias.
Li duas vezes e adorei.
Beijos
Lua Singular

13 de junho de 2016 às 19:20  
Anonymous Arte & Emoçoes disse...

Olá amigo! Como sempre, nos presenteias com belas criações. Adorei o poema, especialmente a estrofe abaixo:

Muitas horas... e a solidão é plena,
Que, só, por um Amor será serena,
Sustendo o que, em nós, é um desejo.
O tempo te dirá, minha pequena,
Tens a Vida inteira e o doce ensejo
De me teres, em ti, no mel de um beijo.

Abraços,

Furtado.

15 de junho de 2016 às 01:57  
Blogger Anjopoesia Anp disse...

Vim te visitar, gostei do seu espaço, do seu Blog, só não achei como participar do seu Blog,mas sempre virei, pois gostei muito.Parabéns

16 de junho de 2016 às 03:10  
Blogger CÉU disse...

Um poema de ontem, de agora e de amanhã, pke o amor resiste as, c acento grave, mais diversas intempéries.

Beijos, amigo Sol.

16 de junho de 2016 às 18:49  
Blogger Jaime Portela disse...

Amar em solidão não é nada fácil...
Mas o poema é excelente, como sempre.
Caro amigo Sol, tem um bom resto de semana.
Abraço.

16 de junho de 2016 às 22:51  
Blogger Maria Rodrigues disse...

O tempo nos trás de tudo um pouco.
Maravilhoso poema
Beijinhos
Maria

17 de junho de 2016 às 23:09  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
O amor é eterno mesmo longe ou de perto. Mas só morrerá se o casal morrer juntos- Nada sabemos após a morte.
Estou achando seu romantismo muito triste.
Beijos
Lua Singular

20 de junho de 2016 às 15:45  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial