SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 25 de junho de 2016

Nada porque chorar



 

Crime de amar,
sofrer, penar,
saber...
temer não te encontrar.

Amor sereno,
em sobressalto
de saber pequeno,
o tempo alto de te esperar.

Braços abertos,
peito despido;
um coração
estremecido
e um desejo
de ter um beijo
que não termine,
nem abomine
esta paixão de ser só teu.

Crime de amar
ao desejar a segurança
de seres segura
e poderes dar a face pura
ao meu beijar.

O tempo louco
torna-se pouco,
esvai-se em nada.

Quero que fiques
no meu encanto,
apaixonada por um segredo,
certa, sem medo,
sem recear
não haver nada porque chorar.



SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

19 Comentários:

Blogger Majo Dutra disse...

~~~
Muito belo o seu crime de amar, Sol, porque é assim mesmo, que se ama autenticamente...

Com uma excelente construção em delicadas antíteses, o poema assume um fluir delicioso que termina num verso muito expressivo, que funciona como uma chave de ouro. Lindo!
Dias aprazíveis e felizes.
Beijo
~

25 de junho de 2016 às 16:16  
Blogger Jaime Portela disse...

O tempo é sempre pouco para quem ama sem ter nada porque chorar...
Excelente poema, meu amigo, gostei imenso.
Sol, tem um bom fim de semana.
Abraço.

25 de junho de 2016 às 19:06  
Blogger Luis Coelho disse...

Não te posso comentar. Posso apenas dizer que o que escreves é belo.

25 de junho de 2016 às 23:50  
Blogger Maria Luiza disse...

Falas do amor com certeza e profundidade nos poemas. Aprecio-os muito! Uma feliz e inspirada semana! Meu abraço!

26 de junho de 2016 às 21:54  
Anonymous Anónimo disse...

Amor doído, sofrido
Desesperançoso, saudoso
Outro mundo nascerá nosso
Juntos na praia,só beijo...

27 de junho de 2016 às 01:08  
Blogger Zilani Célia disse...

OI SOL!
CRIME DE AMAR, QUANDO SE SOFRE POR ESTE AMOR, QUANDO NÃO, NADA POR QUE CHORAR...
LINDO DEMAIS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

27 de junho de 2016 às 03:02  
Blogger CÉU disse...

Por vezes, chora-se de felicidade, de amor, mas, neste seu belo poema, o meu amigo Sol está dando toda a força à amada.
Chorar? Amar não é nenhum crime, é uma dádiva.

Beijos.

27 de junho de 2016 às 21:39  
Blogger Célia Rangel disse...

Sou criminosa! Enquadro-me nesses versos emocionais!
Abraço.

28 de junho de 2016 às 15:51  
Blogger Smareis disse...

Olá Sol!
Muito lindo!
Sem palavras.
Abraços e ótima semana!

28 de junho de 2016 às 20:33  
Blogger Maria Rodrigues disse...

Um amor profundo e belo.
Lindissimo poema
Beijinhos
Maria

28 de junho de 2016 às 21:27  
Anonymous Arte & Emoçoes disse...

lindo e profundo! Muito bem composto, principalmente a estrofe abaixo:

Braços abertos,
peito despido;
um coração
estremecido
e um desejo
de ter um beijo
que não termine,
nem abomine
esta paixão de ser só teu.

Abraços,

Furtado

29 de junho de 2016 às 02:21  
Blogger Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Bonito poema!
Abraço

29 de junho de 2016 às 15:19  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

amar nunca poderá ser crime...
e este poema é um poema de amor e de amar.
belíssimo
:)

30 de junho de 2016 às 16:17  
Blogger Mariangela do lago vieira disse...

Oi Sol! Saudades daqui!
Estas são as lagrimas de amor...
E os braços devem permanecer abertos.
Lindo!
Beijos,
Mariangela

30 de junho de 2016 às 18:16  
Blogger Rita Sperchi disse...

Todo amor é lindo quando feito
por poemas eu adorei por isso te
elogio mil vezes parabéns pelo belo
que nos apresenta
Abraços de boa noite
Rita

1 de julho de 2016 às 01:28  
Blogger Gracita disse...

As lágrimas do verdadeiro amor não trazem sofrimentos
E neste poema não porque chorar pois o amor é forte e pleno
Linda semana pra você
Beijos

3 de julho de 2016 às 21:09  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
O amor é lindo quando enfeitado de paixões e se amar é crime, então, sou uma criminosa
Beijos
Lua Singular

5 de julho de 2016 às 00:56  
Blogger Odete Ferreira disse...

Nunca é crime amar. Pode ser castigo, sofrimento, se não for correspondido ou, também, o receio de se perder.
Poema musical pelo ritmo e rima. A mensagem a ser enfatizada pelas antíteses.
Parabéns, Sol. Bjo :)

8 de julho de 2016 às 17:25  
Blogger Dorli Ramos disse...

Oi Sol,
Bati o dedo sem querer e lá se foram os comentários, excluí sem querer.
Como não faço rascunho, no lugar coloquei um miniconto e embaixo quem havia comentado.
Se quiser dar uma olhadela no miniconto, vou gostar, não precisa comentar, se não quiser.
Beijos
Minicontista2

4 de março de 2017 às 21:57  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial