SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 23 de abril de 2016

Amor ímpar




Ter receios vãos
Nos carinhos
Que te dão as minhas mãos,
É lembrar os medos
Que só existem nos segredos.

Atrofiar o temor,
Edifica o que é natural
No Amor.

Pudesse,
Com palavras novas,
Traduzir o que tenho e sinto,
Para te ofertar, no meu fervor,
A promessa que não fenece...

Docemente, digo:
Quero-te de modo diferente,
Com amor vazio de matéria.

Receios vãos.
Sei-o e sabes tu,
Que os olhos nos olhos,
As mãos nas mãos,
Dizem coisas que sentimos
Neste mar de Vida sem escolhos.

Não há longe nem distância
Que nos afastem a lembrança.
Somos fortes,
Dois num só amor,
Num só corpo...

Conhecemos o desvelo,
Temos coração que sente e bate,
Um só beijo,
Um só abraço,
Temos um amor ímpar e belo.
Jamais, poderemos esquecê-lo.



 

SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

19 Comentários:

Blogger Olinda Melo disse...

Por vezes não são precisas palavras ou então elas se tornam avaras na expressão de um grande amor. Apenas o gesto, os gestos: um beijo, um abraço, uma troca de olhares e, realmente, aí temos "um amor ímpar e belo".

E este é um poema muito belo, caro Sol da Esteva.

Bom fim de semana.

Abraço

Olinda

23 de abril de 2016 às 10:09  
Blogger Dorli Ramos disse...

Oi Sol
Um poema lindo e triste ao mesmo tempo. Da-se a impressão que é um amor proibido. Será?
Lindo!
Beijos no coração
Minicontista2

23 de abril de 2016 às 15:05  
Blogger Mariangela do lago vieira disse...


O amor flui numa relação de dupla confiança, ele cria asas!
Lindo poema Sol!
Beijos,
Mariangela

23 de abril de 2016 às 17:54  
Blogger Mário Margaride disse...

O amor, em todo o seu esplendor.

Gostei muito amigo SOL!

Abraço e bom fim de semana!

23 de abril de 2016 às 20:19  
Blogger Jossara Bes disse...

Oi Sol!
Amor pleno e leal!
Linda poesia, como sempre!
Beijo carinhoso!

23 de abril de 2016 às 20:49  
Blogger Malu Silva disse...

Um amor assim, com toda certeza é impossível de se esquecer...
Bom fim de sábado!

23 de abril de 2016 às 22:59  
Blogger Malu Silva disse...

Um amor assim, com toda certeza é impossível de se esquecer...
Bom fim de sábado!

23 de abril de 2016 às 22:59  
Blogger Célia Rangel disse...

Distância amorosa se contempla em poesia de vida que desvenda a dois os segredos da eternização plena!
Abraço.

24 de abril de 2016 às 04:21  
Blogger Gracita disse...

Impossível esquecer um amor tão lindo e verdadeiro
A vida se encarrega de eternizá-lo e não há distância capaz de maculá-lo
Belíssimo poema amigo Sol
Beijos

24 de abril de 2016 às 20:22  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

por vezes basta apenas um olhar.
o amor em todo o seu esplendor.
beijinhos
:)

24 de abril de 2016 às 21:16  
Blogger Sara com Cafe disse...

que linda. tao linda! parabens.

25 de abril de 2016 às 01:46  
Anonymous Arte & Emoçoes disse...

Lindo poema amigo. Com ênfase para a estrofe abaixo:

Não há longe nem distância
Que nos afastem a lembrança.
Somos fortes,
Dois num só amor,
Num só corpo...

Abraços,

Furtado.

26 de abril de 2016 às 01:52  
Blogger Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Sumptuosa declaração que tem mais valor por ser em variante poética!
Abraço

27 de abril de 2016 às 11:39  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol o que guardo de bom da minha vida foi meu tempo de criança, vivia solta pelos campos, só nunca me deixaram andar descalças.
Obrigada pelo carinho
Beijos
Lua Singular

27 de abril de 2016 às 22:29  
Anonymous Aninha disse...

Oi Sol, olha q um amor assim é bonito demais de se ver. Um amor q diz tudo apenas num gesto, num olhar. Bonita a sua poesia!
Grata pela visita lá no blog da Leninha. Simples e belo o q vc falou da sua filha. O mundo parece mesmo q está querendo ser povoado de uma vezada só qdo vemos a chegada de tantos bebês num só dia, rss. Hoje ñ nasceu nenhum, olha que incoerência? rss.
Uma beijoca da
Aninha

27 de abril de 2016 às 22:35  
Blogger rosa-branca disse...

Olá Sol, um poema de amor lindo, que adorei. Beijos com carinhoo

28 de abril de 2016 às 23:23  
Anonymous Lourisvaldo Santana disse...

Palavras tão amáveis, Sol! Destoa um pouco das outras, que eram carregadas de dor, mas esta também tem o seu toque, que calam bem lá no mais profundo ser de cada um de nós. parabéns!

29 de abril de 2016 às 15:32  
Blogger MARILENE disse...

"Amor vazio de matéria", mencionou em seu belo poema. Uma colocação que mostra a verdade e a amplitude do sentimento sobre o qual versou. Gostei muito. Abraço.

1 de maio de 2016 às 23:09  
Blogger Odete Ferreira disse...

Sentido e profundo poema confessional de um amor "ímpar". Por isso se basta a si próprio, ainda que aporte sofrimento.
Bjo, amigo :)

10 de maio de 2016 às 13:19  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial