SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 12 de março de 2016

O Amor de Mulher



 

É bom viver,
Saltar,
Correr
E a todos dizer
Que te amo, Mulher.

Quem me dera ter passado
E ao passado, passado,
Ainda poder voltar,
Para que o caminho errado
Pudesse ser reparado...

Quem dera
Poder andar ao ar livre,
Sem me sentir escondido
Diante de todo o mundo;
Todos podiam olhar
E até nos invejar
A nossa felicidade...

Quem me dera ser tão mais livre,
Ser tão pobre,
Ser tão rico,
Que pudesse ser feliz
Sem nada material.

Quem dera, ainda, viver
Onde pudesse crescer,
Saltar ou pular,
Correr para braços abertos
Que me irão acolher
Num abraço mais profundo,
Tão grande quanto este mundo,
Imenso como o Amor.

Afinal,
Tanto não meço por já ter,
Porque te tenho, Mulher,
Com o Amor de Mulher
Que nunca hei-de perder.



SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

33 Comentários:

Blogger Célia Rangel disse...

..."Reparar o caminho errado"... Para sempre Amar com o Amor de Mulher"... Nada mais é necessário! Parabéns pela sua sensibilidade!
Abraço.

12 de março de 2016 às 10:03  
Blogger Gracita disse...

Por vezes não dá para voltar ao passado e "reparar" mas dá para seguir confiante no amor de uma GRANDE MULHER
Tua sensibilidade e eloquência no versejar é o que encanta o leitor caro amigo
Um bom início de semana
Um beijo no coração

12 de março de 2016 às 20:13  
Blogger Luis Coelho disse...

Parabéns pelo poema tão carregado de sensibilidade.
Quem ama a mulher, ama a sua esposa, a filha ou a mãe ou ainda a vizinha e até a sogra .

12 de março de 2016 às 22:39  
Blogger Jossara Bes disse...

Oi Sol!
Lindo demais! Declaração de amor exaltando a mulher!
Beijo carinhoso!

12 de março de 2016 às 22:56  
Blogger São disse...

Gostei, gostei, gostei!


Bom resto de domingo

13 de março de 2016 às 17:51  
Blogger Malu Silva disse...

Quando se ama a alma feminina só pode acontecer isso - um linnnndo poema.
Bom fim de domingo!

13 de março de 2016 às 18:12  
Blogger Carmem Grinheiro disse...

Olá, Sol

Poema que a mim parece tão carregado de nostalgia, mesmo que fale da mulher que é seu amor.
"Quem dera, ainda, viver
Onde pudesse cresce" - quem dera ainda ter tempo de viver mais uma vez... Pois, muitos de nós, se não todos, quereriam o mesmo ;)
Mas eis que tem o essencial, o melhor de tudo : o amor que não há-de perder. Bonito este seu poema.

*Foto de perfil nova - embora buscada no passado(?)

um abç amg

13 de março de 2016 às 18:30  
Anonymous Lourisvaldo Santana disse...

Um amor de Mulher...
Ah, isso vale tanto, tanto quanto descreve os poetas e um pouco mais.
O amor de Mulher é isso aí, Sol.

Grande abraço!

13 de março de 2016 às 20:25  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Quem me dera voltar aos tempos de menino e moço e puder amar tão intensamente! Ah! que vontade eu sentido de voltar àqueles tempos!
Um abraço cá do Algarve.

13 de março de 2016 às 21:53  
Blogger Maria Rodrigues disse...

Belissímo poema, onde o amor e sensibilidade estão de mãos dadas.
Um abraço
Maria

13 de março de 2016 às 22:00  
Blogger Mariangela do lago vieira disse...

Amei teu poema Sol!
Está de parabéns, pois mostra com maestria
O maravilhoso poeta que é.
E o amor sempre presente!
Beijos, ótima semana!
Mariangela

14 de março de 2016 às 12:28  
Blogger rosa-branca disse...

Olá amigo, que nunca perca esse amor. Maravilhoso poema que gostei muito. Beijos com carinho

14 de março de 2016 às 23:52  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

um belo poema enaltecendo a mulher.
gostei muito1
boa semana.
beijo
:)

15 de março de 2016 às 11:11  
Blogger Manuel disse...

Para cumprimentar. ao mesmo tempo, deliciar-me com um fantástico poema.
As musas continuam a dar-te toda esta inspiração.
Um abraço

15 de março de 2016 às 14:48  
Anonymous Arte & Emoçoes disse...

Tempos que já não retornam e que só nos trazem recordações. Belo poema amigo, com ênfase para a estrofe abaixo:

Quem dera, ainda, viver
Onde pudesse crescer,
Saltar ou pular,
Correr para braços abertos
Que me irão acolher
Num abraço mais profundo,
Tão grande quanto este mundo,
Imenso como o Amor.

Abraços,

Furtado.

15 de março de 2016 às 15:31  
Blogger Dorli Ramos disse...

Oi Sol
Desculpe a falta, estou com as crises de dor.
Recordar é bom quando o tempo foi bom. Ainda bem que tem o amor de uma mulher.
Sempre temos alguém que nos ame.
Gostei do novo visual.
Beijos no coração
Minicontista2

15 de março de 2016 às 22:09  
Blogger Pérola disse...

Poema muito sensível e amoroso.

Beijinhos

15 de março de 2016 às 23:00  
Blogger Janita disse...

Ah, SOL, poemas assim até nos animam e dão alegria!

Que ama assim e descreve tão bem esse amor, é um coração sensível e romântico, por natureza.
Parabéns, Sol. Poema muito lindo e terno.

( E a foto?)

Beijinhos

15 de março de 2016 às 23:17  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol
Obrigada pelas lindas palavras no Lua Singular
Beijos no coração
Lua Singular

16 de março de 2016 às 02:43  
Blogger helia disse...

Um lindo e romântico Poema !

16 de março de 2016 às 08:47  
Blogger Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, reparar o erro é possível mas o erro fica para sempre, seu poema é magico, a mensagem é clara.
AG

16 de março de 2016 às 16:52  
Blogger Jaime Portela disse...

Excelente poema de amor.
Gostei imenso, como sempre.
Continuação de boa semana, caro amigo Sol.
Um abraço.

17 de março de 2016 às 15:29  
Blogger Mariazita disse...

Gostei deste poema de amor e confiança.
Ter fé no amor de quem se ama... é das coisas mais importantes da vida.

Bom fim de semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

17 de março de 2016 às 20:55  
Blogger CÉU disse...

um misto de tristeza, pke o tempo não volta atrás, com o valor da mulher amada. beijos.

17 de março de 2016 às 21:11  
Blogger Dorli Ramos disse...

Oi Sol,
Amor é o querer bem, é velar alguém que vele nosso sono, é alguém que quando a cama fica vazia se morre de saudade.
Beijos
Minicontista2

17 de março de 2016 às 22:26  
Blogger Dorli Ramos disse...

Oi Sol,
Fiz alguns erros:é ter alguém que vele nosso sono.
levantei agora para não ver a vergonho do meu Brasil.
Beijos
Minicontista2

17 de março de 2016 às 22:29  
Blogger Odete Ferreira disse...

Entre o desejo e a posse. Entre o que foi e o que se tem...
Prevalece a gratidão do que já se tem. E é muito bom!
Bjo, amigo :)

18 de março de 2016 às 00:57  
Blogger Maria Luisa Adães disse...

Louvo sua sensibilidade!

Agradeço sua presença e suas palavras
ao Poema "Abandonado" nos "7degraus"

Com ternura,

Mª. Luísa

18 de março de 2016 às 14:06  
Blogger Vera Lúcia disse...

Olá Sol,

Desejos nostálgicos acerca de um tempo imutável, com a certeza, porém, de já ter no presente um amor de mulher, que não há de ser perdido... um amor que sempre foi e será.

Lindo!

Abraço.

18 de março de 2016 às 17:07  
Blogger Olinda Melo disse...

Tão lindo este seu Poema, Sol da Esteva! Ele é feito de amor e sensibilidade, de saudade e vontade de ter dado passos que reflectissem, devidamente, no presente a boa vivência de um grande amor. E ele é a expressão da vontade e do desejo de quase todos nós. Não há dúvida que houve qualquer coisa que ficou por dizer, um olhar que ficou por explicar, omissões que gostaríamos de rectificar. E o tempo assim passou.

Um bom fim de semana, caro amigo.

Abraço

Olinda

18 de março de 2016 às 17:41  
Blogger Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Despretencioso, simples e bonito :)

Muito bom, amigo :)

Abraço

18 de março de 2016 às 18:20  
Blogger Maria Luisa Adães disse...

Sensível e terno!...


Maria luísa

23 de março de 2016 às 13:37  
Blogger Dorli Ramos disse...

Oi Sol
Obrigada pelo carinho
Beijos
Minicontista2

2 de abril de 2016 às 03:18  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial