SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 18 de julho de 2015

Apenas o silêncio





                      
Silêncio e dor
Na imperfeição do Ser.

Silêncio
Nas falhas da verdade
De que não assumimos culpa.
Dor,
Consequência
Dessa outra forma de viver...
A morte, ao redor,
Como abutre,
Espera o estertor,
O fim da agonia...

Silêncio e dor
Que a Natureza não pode evitar,
Como não pode adiar
O final de cada dia.
...O sol já não entrará, de novo,
Dentro dos olhos cegos pela dor.

Bem antes dum lancinante grito,
Apenas o silêncio, o mito...



SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

23 Comentários:

Blogger lua singular disse...

Há! Sol
Que verdade triste!
Já não basta a dor da carne, agora a dor da verdade.
Um dia como Ele quiser
Beijos no coração
Dorli

18 de julho de 2015 às 13:11  
Blogger Mariangela do Lago Vieira disse...

Mais forte que a dor na própria carne, é a dor da culpa...
Mas até isto, em nosso reconhecimento, teremos o perdão divino.
Muito verdadeiro Sol.
Um beijo com carinho te desejando um lindo dia!
Mariangela

18 de julho de 2015 às 13:32  
Blogger manuela barroso disse...

Na partícula que nos faz há tanto, a vida é dádiva de Ser para fazermos parte, de novo da poeira cósmica. Voemos para não ficar em terra!
Belissimo, querido amigo!
Abraço com amizade

18 de julho de 2015 às 16:49  
Blogger Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, o sentimento de culpa causa enorme dor, quando se perde a capacidade de rectificar, na verdade o que está feito está feito, mas a dor pode ser aliviada e compensada.
Bom fim de semana.
AG

18 de julho de 2015 às 17:36  
Blogger Carmem Grinheiro disse...

Olá, Sol.
Na confrontação com o fim, só resta o silêncio.

abç amg

18 de julho de 2015 às 21:24  
Blogger Zilani Célia disse...

OI SOL!
O GRITO QUE A NATUREZA DÁ, DIA APÓS DIA E EM NOSSA IGNORÂNCIA, TEIMAMOS EM FINGIR NÃO OUVIR.
LINDÍSSIMO.
ABRÇS
-http://zilanicelia.blogspot.com.br/

19 de julho de 2015 às 00:33  
Blogger Pérola disse...

O silêncio que tudo diz.

Beijinhos

19 de julho de 2015 às 10:13  
Blogger Célia Rangel disse...

Há no silêncio profundas mensagens... E, a dor ameniza quando conseguimos entender...
Abraço.

19 de julho de 2015 às 13:49  
Blogger Gracita disse...

Olá Sol
Neste confronto da dor o silêncio é significativo e portador de inúmeras respostas desde que tenhamos a capacidade para compreendê-lo e compreendido trará compensações significativas para minorar a dor
Um ótimo domingo meu amigo
Beijos no coração

19 de julho de 2015 às 14:10  
Blogger Jaime Portela disse...

Mais um excelente poema.
Gostei de ler e reler.
Tenha uma boa semana.
Abraço.

19 de julho de 2015 às 20:27  
Blogger EU disse...

Há silêncios demasiado pesados se de dor e vazio forem feitos.
Difícil superar.
Gostei muito, amigo Sol.
Bjo

20 de julho de 2015 às 01:16  
Blogger Manuel disse...

A tua poesia está, para mim, a ganhar uma dimensão que me deixa verdadeiramente encantado.
Os teus poemas têm um novo alento, vão muito mais além.
Saúdo esta nova fase, sem esquecer os sonetos que têm sido um emblema da tua inspiração. Um abraço

20 de julho de 2015 às 11:49  
Anonymous Arte & Emoções disse...

Amigo SOL! Eis que mais uma vez, aqui me faço presente para me deliciar com a leitura de mais uma das tuas belas criações, com ênfase para a estrofe abaixo:

Silêncio e dor
Que a Natureza não pode evitar,
Como não pode adiar
O final de cada dia.
...O sol já não entrará, de novo,
Dentro dos olhos cegos pela dor.

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado.

20 de julho de 2015 às 14:24  
Anonymous Anónimo disse...

Amigo, Sol,Viva, como está?
Um poema realista, mas que temos de encarar de frente e sorrir, para que essa dura realidade se afaste.
Quero vê-lo alegre!

Beijinho
Felismina

20 de julho de 2015 às 15:17  
Blogger MARILENE disse...

Nem sempre é belo o silêncio. Sua abordagem o mostra como fruto de dor e de sofrimento. Seja para o ser humano, seja para a natureza, esse silêncio é grito que chega ao íntimo, através da sensibilidade e da consciência. Abraço.

20 de julho de 2015 às 17:37  
Blogger Maria Rodrigues disse...

A dor que destrói a alma envolve-a num silêncio de solidão.
Nostálgico e belo.
Beijinhos
Maria

20 de julho de 2015 às 21:44  
Blogger Evanir disse...

Hoje numa visita rápida inesperada estou aqui
nesse dia consagrado aos amigos.
Sei já esta no final do dia ,
mas vou continuar até amanhã .
Um amigo de verdade é para eternidade,
por tanto todo dia é Dia do Amigo Leal.
Venho te deixar um abraço muito especial
mesmo um pouco em falta nos últimos tempos.
Mas logo espero estar retornando .
Hoje é especial.
Um feliz dia do Amigo.
Amizade é tudo mas a palavra amigo tem peso pesado.
Um beijo e uma semana abençoada.
Fica com Deus.
Meu amado amigo li seus poemas senti tanta dor no seu doce coração
és um dos melhores amigos que pude fazer nesse mundo sem face , mas com muito amor.

20 de julho de 2015 às 22:09  
Blogger CÉU disse...

Um poema muito filosófico, meu amigo Sol!
A dor e o silêncio andam quase sempre associados, mas um dia, as trombetas do riso e da alegria inundarão a terra, e nesse dia terá de fazer um outro poema, com a melhor das vontades, sei que sim.
Boa semana.
Beijos.

21 de julho de 2015 às 00:13  
Blogger Silenciosamente ouvindo... disse...

Silêncio e dor que todos os anos se repete...
Um poema muito adequado ao momento.
Abraço, amigo.
Irene Alves

21 de julho de 2015 às 17:06  
Blogger Jossara Bes disse...

Querido amigo, Sol!
Compreensão do sentido "de estar"! Finitude silenciosa, enimatica!
Profundo! Lindo!
Beijo carinhoso!

22 de julho de 2015 às 19:20  
Blogger Paulo Francisco disse...

Essa dor infinita que se cala no peito!
Abraçogrande

23 de julho de 2015 às 02:08  
Blogger Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Um ternurento poema!
Abraço!

24 de julho de 2015 às 10:13  
Blogger helia disse...

Uma Linda POESIA DA VIDA !

24 de julho de 2015 às 18:41  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial