SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 27 de junho de 2015

Pena







Uma palavra, apenas, distancia e separa
As certezas dum Amor.

Uma palavra apenas,
Uma palavra só:
A que não brotou da fonte da tua boca...
A que calou, no silêncio maior,
Criou dor
E te afastou no espaço
Que ocupavas junto a mim...


Afinal, essa lonjura,
Nunca, tamanha, a senti
Por tão vazio ficar,
Esperando, sem cessar,
A gota, que mitigasse 

A sede que tenho, de ti.


...Apenas uma palavra.
Uma palavra, apenas,
Sem penas...


A palavra não chegou
Aos lábios rubros, de sangue,
Do sangue que é também, meu,
Na mancha do meu Amor...


Agora,
Não tenho Alma,
Porque a Palavra
Não veio cimentar a confiança
E a certeza de aliança;
Tornou-se marca da dor
Que nos ficou, de permeio.


...Uma palavra só!...
Tem, de mim, alguma pena.
Haja dó!



SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

23 Comentários:

Blogger Olinda Melo disse...

Pena de amor. A pena que mais fere o coração. Que ela se transforme em dádiva, alimentando a vida em riso e ondas de alegria.

Grande abraço, Sol.

Olinda

27 de junho de 2015 às 12:46  
Blogger Olinda Melo disse...

Pena de amor. A pena que mais fere o coração. Que ela se transforme em dádiva, alimentando a vida em riso e ondas de alegria.

Grande abraço, Sol.

Olinda

27 de junho de 2015 às 12:46  
Blogger Gracita disse...

Um sentimento de vazio deixado pela palavra tão esperada, a palavra que faria solidificar o amor transformando os dias em sorrisos de felicidade. Pena de um amor que perdeu-se no silêncio. Lindíssimo poema Sol
Beijos e um lindo final de semana

27 de junho de 2015 às 18:51  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Ter pena de quem partiu, é ter amor e saber daquilo que diz, sentir e amar é ter alma e ter gana enquanto vida.
Um abraço cá do Algarve.

27 de junho de 2015 às 19:13  
Blogger ॐ Shirley ॐ disse...

Tudo sem seu tempo e pode mudar. O amor poderá voltar e colorir de novo a vida.
Sol, beijos!

27 de junho de 2015 às 20:44  
Blogger Célia Rangel disse...

A falta que faz a verdade, o alicerce eternizado na transparência das palavras, dos atos sem omissões... Amar é ser na totalidade.
Abraço.

27 de junho de 2015 às 21:13  
Blogger Mar Arável disse...

Quase tudo se conquista

28 de junho de 2015 às 17:44  
Blogger Magia da Inês disse...

✿゚。ه
"Uma palavra apenas!..."

Ótimo domingo! Boa semana!
Beijinhos.
❤❤ه° ·.

28 de junho de 2015 às 19:44  
Blogger Maria Rodrigues disse...

A dor de amor é uma pena que nunca se esquece.
Nostálgico e belo poema.
Beijinhos
Maria

28 de junho de 2015 às 20:19  
Anonymous Arte & Emoções disse...

Belo e muito profundo! Com ênfase para a estrofe abaixo:

Afinal, essa lonjura,
Nunca, tamanha, a senti
Por tão vazio ficar,
Esperando, sem cessar,
A gota, que mitigasse
A sede que tenho, de ti.

Abraços,

Furtado.

29 de junho de 2015 às 15:24  
Blogger Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, entre atitudes e palavras, prefiro as atitudes, as palavras são reconfortantes, as atitudes são a certeza, a palavra encurta a distancia, sem esta é natural que seja sentido a dor do amor.
AG

30 de junho de 2015 às 14:30  
Blogger Elio disse...

Ciao Sol, naturalmente il tuo testo è molto bello. Una cosa, quando trovo una penna di volatile la faccio vedere a mia moglie la quale, gurdandone il colore e la tessitura controlla se non sia un messaggio nascosto. Buona settimana.

30 de junho de 2015 às 16:38  
Blogger Carmem Grinheiro disse...

Olá, Sol.
Um lamento tão sentido por uma palavra que falhou.
abç amg

30 de junho de 2015 às 21:32  
Blogger Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Uma palavra apenas tem, efectivamente, um efeito milagroso...

Abraço

1 de julho de 2015 às 11:08  
Blogger Cadinho RoCo disse...

Tudo por uma palavra, uma palavra só.
Cadinho RoCo

1 de julho de 2015 às 14:40  
Anonymous blueshell disse...

A espera,em vão, dessa palavra pode provocar tanta dor, tanta agonia e desespero...

Bom te ver de novo e muito bom te ler.
Obrigada
BShell.

1 de julho de 2015 às 14:57  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol
Uma linda poesia de perda de um amor.
Dói muito uma separação.
Beijos
Fiz um comentário abaixo, depois de uma mulher sentada

1 de julho de 2015 às 17:05  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

palavras perdidas, palavras esquecidas e por vezes fazem tanta falta!
uma só, só uma!
:(

1 de julho de 2015 às 17:18  
Blogger Silenciosamente ouvindo... disse...

As palavras afagam... as palavras matam...
Mas as palavras são muito necessárias
e sem poesia, que seria a vida?
Abraço amigo.
Irene Alves

1 de julho de 2015 às 20:27  
Blogger Jaime Portela disse...

Gosto da sua poesia.
Por isso, vou passar por aqui muitas vezes.
Saudações poéticas.

2 de julho de 2015 às 16:31  
Anonymous Helena disse...

Esta palavra que não nos chega aos ouvidos, a palavra sentida, quase expressada, sempre tão esperada, mas que os lábios não pronunciam... Ah, se pronunciasse seria música aos ouvidos, um bater mais forte do coração, um sobressalto apesar do esperado, o incentivo para o gesto de aconchego, uma alegria a brotar no olhar... Mas a palavra não chega! E o coração dói, a alma sufoca, a razão embota, a emoção de desassossego se alastra por todo o corpo, e o olhar vai perdendo aos poucos o brilho, a esperança fenecendo no passar do tempo...
Ah, meu querido amigo Sol, como soubeste bem poetizar essa dor da palavra não dita... Como soubeste tocar o âmago da decepção, da tristeza e desesperança quando desta ausência de uma simples palavra...
Como tão bem disseste:
"Uma palavra, apenas, distancia e separa
As certezas dum Amor."
Ficam com os sorrisos que te deixo para enfeitar a palavra AMIZADE de mimosas estrelas.
Com carinho,
Helena

2 de julho de 2015 às 23:08  
Anonymous Helena disse...

Correção:
Fica com os sorrisos que te deixo...

2 de julho de 2015 às 23:10  
Blogger MARILENE disse...

Nem sempre o silêncio fala porque os corações precisam da musicalidade que certas palavras podem proporcionar. Não lhes faltam sangue e vida, mas é uma pena que não lhes proporcionem, por vezes, e com simples palavras, a realização de seus sonhos. Bjs.

5 de julho de 2015 às 19:26  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial