SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 30 de maio de 2015

Porque é que eu não sabia?







Porque nascem as árvores
E porque correm os rios?
Porquê o mar marulhar?
Porquê?
Porquê o amar?

Não encontro respostas,
Apenas desafios,
No dormir e acordar.

Saberão, as flores da Primavera,
Que o seu néctar se tornará sangue do fruto?

O que é a Primavera,
Senão uma quimera
Que, como vivente, eu desfruto?
E o sol? E o luar?
Eles fazem recordar
Que, de pequenino,
Vivo, sofrendo, a amar.

...E uma estrela brilha,
De olhar candente,
Sorriso quente,
Nesta noite fria...
Ela  é só uma ilusão,
Nesta escuridão
Que me desafia.

Há milhões e milhões de segundos,
Aonde aquela estrela existia,
Eu seria outro animal
Sem o carinho da gente
E sem a luz cintilante.

... Apenas eu não sabia
Da existência dos Mundos
Aonde amar, é liberdade;
O pensar, é fantasia
E o querer, realidade.

Porque é que eu não sabia?



SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

33 Comentários:

Blogger Paulo Francisco disse...

Sabia. Mas não entendia. Ficaria lendo esse poema até gravá-lo em minha mente e alma. Recitaria ao vento no cume de uma montanha. Não sei... talvez ainda o faça.
um grande abraço

30 de maio de 2015 às 09:13  
Blogger manuela barroso disse...

A alegria da Mãe Natureza num hino de louvor. Depois, o Eu acorda afogando a alegria nas cogitações da mente!
Excelentes caríssimo amigo
Beijinho

30 de maio de 2015 às 17:48  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Achos que tu sabias.
Agora questionas, interrogaste e admiraste!
Pensavas que tudo era bom mas afinal existe o mal.
Um abraço cá do Algarve.

30 de maio de 2015 às 17:50  
Blogger Magia da Inês disse...


✿ه° ·. Nascemos perguntando e vamos continuar perguntando sempre!...

Tenha um maravilhoso fim de semana!
Beijinhos.
Brasil.
˚ه❀❀ミ
✿ه° ·.

30 de maio de 2015 às 18:20  
Blogger María disse...

La naturaleza es sabia, la naturaleza es bella.

Un beso.

30 de maio de 2015 às 18:46  
Blogger María disse...

La naturaleza es sabia, la naturaleza es bella.

Un beso.

30 de maio de 2015 às 18:46  
Blogger Janita disse...

A idade dos 'Porquês', da inocência e da ilusão! Que belo poema, SOL!

A foto é duma ternura imensa, onde o passar do tempo não fez desviar os olhos das estrelas que brilham no Firmamento e da Fé que vem d'Ele.
Que beleza, que deslumbramento!

Não sabias, mas intuías, SOL.

Beijinhos com carinho.

Janita

30 de maio de 2015 às 21:11  
Blogger Paula disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

30 de maio de 2015 às 21:13  
Blogger Paula disse...

Porque nao 'e preciso saber para amar... ;-) xxx

PS> Que menina tao linda!

30 de maio de 2015 às 21:15  
Blogger Maria Rodrigues disse...

Simplesmente maravilhoso meu amigo poeta.
Passamos a vida à procura de respostas.
Beijinhos
Maria

30 de maio de 2015 às 21:30  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol
Desde crianças que fazemos esses e outros questionamentos, mas ele não têm respostas.
Vivemos um dia de cada vez para sofrer muito e ter umas migalhas de momentos felizes, pois o resto é só fantasia.
Bom domingo
Beijos

31 de maio de 2015 às 14:40  
Blogger Existe Sempre Um Lugar disse...

Poeta amigo, suas belas poesias são sempre profundas, cada palavra que compõe a mesma obriga pensar, é bom que não saibamos tudo sobre a natureza, o mistério é maravilhoso e atrai.
AG

31 de maio de 2015 às 15:23  
Blogger Célia Rangel disse...

Belíssima a realidade de vida nesse seu poema!
Mais um que canta o amor por existir, ser e contemplar a graça do vivermos!
Abraço.

31 de maio de 2015 às 16:34  
Blogger Olinda Melo disse...

Perguntas e mais perguntas que nos assaltam... Por mais que vivamos nunca saberemos uma resposta cabal ou então apenas encontraremos respostas subjectivas. Mas, há uma certeza: a de que o nosso coração foi feito para amar. E nisto, nesta certeza, nos deixaremos embalar.

Abraço.

Olinda

31 de maio de 2015 às 20:05  
Blogger Smareis disse...

São tantas resposta que a gente procura!
Excelente poema Sol!
Uma ótima semana!
Um ótimo mês
Um abraço, e um sorriso!
Blog da Smareis

31 de maio de 2015 às 20:18  
Blogger São disse...

Não sabias porque nunca se sabe tudo e porque as perguntas se mulgtiplicam infinitamente.

Boa semana :)

1 de junho de 2015 às 01:33  
Blogger Simone Lima disse...

Acho que dentro do peito, ja sabias.
Lindo poema.

Beijao

1 de junho de 2015 às 13:52  
Blogger Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Infinitas indagações, pela vida a fora, tantas não satisfeitas, no tempo da razão...
na busca constante de respostas...na liberdade do amar, na poesia do viver.../...
Beijo, SOL,
da Lúcia

1 de junho de 2015 às 15:39  
Anonymous Arte & Emoções disse...

... Apenas eu não sabia
Da existência dos Mundos
Aonde amar, é liberdade;
O pensar, é fantasia
E o querer, realidade.

Belo e profundo amigo! Concordo perfeitamente! A realidade está realmente no querer.

Abraços,

Furtado.

1 de junho de 2015 às 20:15  
Blogger Mar Arável disse...

Saber tudo também cansa

2 de junho de 2015 às 23:48  
Blogger Gracita disse...

São tantas as nossas indagações, tantas dúvidas!
E muitas delas sem resposta.
Vivemos a fantasiar o porquê de tantas coisas
Melhor é desfrutar! Deixar acontecer sem divagar
A realidade nos envolve com ou sem porquês
Então é melhor viver!!!
Belo e profundo o teu poema amigo Sol
Beijinho amigo

3 de junho de 2015 às 00:41  
Blogger Magia da Inês disse...

ჱه° ·.
Ótimo restinho de semana cheio de saúde e harmonia!

⋰˚هჱ
╱/ Beijinhos.

3 de junho de 2015 às 14:26  
Blogger Mirtes Stolze. disse...

Boa tarde Sol.
Que saudade estava em ler os seus poemas sempre bem profundos. As indagações são tantas e a natureza sempre bela. Um feliz més de junho meu amigo com muita alegrias. Um forte abraço.

3 de junho de 2015 às 19:42  
Blogger CÉU disse...

Olá, estimado amigo, Sol!

Espero que esteja bem, tal como a sua família.
Estranhei-o a semana passada, sinceramente falando. É evidente que não há nenhum acordo entre as partes envolvidas, mas já se tornou da casa, ou seja, familiar. Provavelmente, esquecimento, porque a pessoa que é, o meu amigo, não há que pensar outra coisa. Tem disciplina física e mental, aliada à coerência.

Quanto a este belo e significativo poema, que não é soneto, como é costume aqui, li-o, de uma assentada. Apetece, sempre, continuar a ler, para saber o final, enquanto que no soneto, duas quadras e dois tercetos, sabemos, mais ou menos, qual será a chave do mesmo, embora não seja regra.

Ora, pergunta a criança, na sua doce e pura ingenuidade, por que não sabia ela de tanta coisa? É bom que obtenha respostas reais, mas graciosas e ténues, à medida da sua capacidade cerebral, do seu QI. Disso se encarregarão os pais e os avós.

A Idade dos Porquês começa muito cedo, e agora mais do que nunca, as crianças questionam tudo: fruto dos tempos, não sei se mais "entendidos", que os anteriores.

Todo o seu escrito está muito bem organizado e mostra bem como era a pacatez, com curiosidade, dos meninos das décadas passadas. Agora, têm tudo à distância de um clique, e já "nascem" com conhecimentos de Informática. Evidente que estou a exagerar, mas não muito.

É muito importante para a formação delas, crianças, como futuros cidadãos, que continuem a acreditar no pai natal, no menino Jesus, nas "sementinhas" do papá, etc.

Outros mundos? Tanta maldade? Tanta realidade cruel? Têm tempo de experimentar o sabor desses malefícios.

Boa semana.

Beijo, com muita estima.

3 de junho de 2015 às 22:08  
Blogger ॐ Shirley ॐ disse...

Muito, muito bonito, Sol!
Beijos!

4 de junho de 2015 às 02:40  
Blogger José María Souza Costa disse...

Olá, Sol de Esteva

... passando para desejar-te um Feriado, muito bom.
Um abraço.

4 de junho de 2015 às 16:02  
Blogger Manuel disse...

É verdade, porque é que nós não sabemos?
Mas sei que és um poeta, verdadeiro e muito inspirado.
Tens uma sensibilidade muito especial.
A imagem também vale por mil palavras.
Um abraço

4 de junho de 2015 às 21:36  
Blogger MARILENE disse...

Há muitas e muitas interrogações quando o assunto é vida. E nosso entendimento de algumas questões não significa que outras não nos abraçarão com a mesma interrogação. Só vamos saber, com a maturidade, que nosso olhar de criança não nos permitiu ver o mundo com realismo. Ainda bem! Abraço.

4 de junho de 2015 às 22:23  
Blogger Fá menor disse...

Tanto que não sabemos... e a vida se encarrega de nos ensinar, tantas vezes a penas duras.

Bjs

5 de junho de 2015 às 13:43  
Blogger Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom fim de semana.
AG

5 de junho de 2015 às 17:31  
Blogger CÉU disse...

Olá, Sol!

"A falar é k a gente se entende". Então, problemas com as máquinas, k já estão resolvidos.
Agora, penso que está tudo sobre rodas, e portanto as coisas vão continuar no carril, de preferência.
Efetivamente, não tenho endereço de e-mail visível no blogue. Tem de ser assim, pke se todos os dias, eu recebo comentários mtooooooooooo doces, mas não reles, imagine se tivesse o mail à vista.
As pessoas, virtualmente, desabafam e abrem-se imenso, pke não conhecem a cara k está deste lado, os olhos e as expressões de aprovação ou não.

Fique bem e bom fim de semana.

Beijo.

5 de junho de 2015 às 20:55  
Blogger Jossara Bes disse...

Lindas interrogações infantis que perpassam o tempo!
Mistérios e duvidas povoando a fantasia humana.
Adorei!
Beijo carinhoso!

11 de junho de 2015 às 12:03  
Blogger EU disse...

As interrogações farão sempre parte de almas inquietas. De algumas vamos sabendo as respostas à medida do nosso crescimento; outras, as que não nos cabe o desígnio de conhecermos as respostas, permanecerão para lá de nós...
Com elas criaste um belo poema.
Bjo, Sol :)

14 de junho de 2015 às 18:16  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial