SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 25 de abril de 2015

Amar entre dois beijos






 

Cria, para mim, a poesia
Que um beijo deu, por ilusão.
Dá-me, uma vez mais, a companhia.
Mata, na minha Alma, a solidão.

Fica, amargamente, a alegria
Oprimindo, forte, o coração.
Quis pensar ter sido fantasia,
Esta triste e estranha sensação.

Olho meus farrapos, meus destroços,
Sinto dó de mim, dos meus bocados
Que se arrastam tristes, desgraçados...

Sente bem, Amor, bem nos teus ossos,
As revoltas, dores e os desejos,
Do que seja amar entre dois beijos!



 

SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

26 Comentários:

Blogger Paulo Francisco disse...

E o que seria amar entre dois beijos quando a alma se sente só?

¨Mata, na minha Alma, a solidão.
Esta triste e estranha sensação.¨

Outro soneto impecável!

abraçogrande

25 de abril de 2015 às 08:33  
Blogger Rui - Olhar d'Ouro disse...

Bonito poema na sua mais pura essência meu caro amigo. Quanto à foto, excelente o o resultado e respetiva junção ao poema!
Abraço e bom fim de semana!

25 de abril de 2015 às 09:32  
Blogger António Bernardo disse...

Amar entre dois beijos,é um amor contínuo,infinito.

25 de abril de 2015 às 12:58  
Blogger CÉU disse...

Olá, Sol!

A imagem, que encima o seu soneto está mto bonita e de acordo com o que escrito.

Entre dois beijos, pode acontecer tanta coisa! Gostei da sua imaginação poética, que não está, nem se sente só.

Bom fim de semana.

Abraço.

25 de abril de 2015 às 14:44  
Blogger CÉU disse...

Retificando: e de acordo com o que escreveu.

25 de abril de 2015 às 14:45  
Blogger Carmem Grinheiro disse...

Olá, meu caro Sol,
Sempre beleza e fascínio, é o que se encontra em sua poesia.
Só se é completo quando se ama. Na ausência do amor, restam os farrapos.

abç amg

25 de abril de 2015 às 16:21  
Blogger Manuel disse...

Revi-me. em certos aspectos, neste belo poema.
Magnifico na forma, no encanto e na mensagem.
Como sempre é um prazer ler e levar na memória o momento.

Peço desculpa pela minha ausência, mas problemas de saúde de um familiar tem absorvido o meu tempo.
Um abraço.

25 de abril de 2015 às 16:52  
Blogger Gracita disse...

Amar entre dois beijos uma sensação de felicidade. Amor distante, coração em farrapos. O antagonismo do amor. Fascinante poema amigo Sol
Beijinhos com carinho

25 de abril de 2015 às 18:14  
Blogger Mariangela do Lago Vieira disse...

Quem já experimentou este amor, entre dois beijos, sabe muito bem o que sente em sua ausência...
Lindíssimo Sol!!
Beijos,
Mariangela

25 de abril de 2015 às 19:36  
Blogger Dora Regina disse...

O amor é para poucos...Ame!
Um grande abraço!

25 de abril de 2015 às 21:32  
Blogger Célia Rangel disse...

Amar com tal intensidade é não dar espaço para a moradia da solidão. Enternece-se amorosamente no afago de beijos dados e recebidos - marcam para sempre as vidas que neles se entregaram!
Abrço.

25 de abril de 2015 às 21:34  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Muito bem representado este par de apaixonados esfarrapados mas com grande vontade de amar, tal foi a intensidade que terminam com dois beijos.
A representação dos búzios está excelente, gostei.

25 de abril de 2015 às 22:30  
Blogger Jossara Bes disse...

Oi Sol,
Mais uma preciosidade a brindar a emoção, o sentimento!
Encantador!
Beijo carinhoso!

26 de abril de 2015 às 18:01  
Blogger Fá menor disse...

Possa o amor entre dois beijos fortalecer o coração.

Bjos

26 de abril de 2015 às 18:22  
Blogger Silenciosamente ouvindo... disse...

O amor sempre dá momentos de muita euforia e outros de muita tristeza.
O amigo sabe bem transpor para a poesia pedaços de vida.
Bj.
Irene Alves

26 de abril de 2015 às 20:05  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol
Não se ama na solidão, mas não são em farrapos que deixamos de amar, pois amar independe de "paixão".
Adorei
Beijos no coração

27 de abril de 2015 às 00:47  
Blogger Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Sol! Passando para agradecer a tua honrosa visita e amável comentário, bem como me deliciar com mais uma das tuas bela criações. Adorei o soneto.

Abraços,

Furtado.

27 de abril de 2015 às 13:42  
Anonymous Helena disse...

Passeando pelos teus últimos poemas... Alguns tristes, deprimentes, outros de uma alegria infantil até, mas todos com a tua marca de grande poeta. Estou voltando, amigo, e matando as saudades dos blogs que tanto gosto, como este teu.
Deixo uma estrela a brincar num sorriso, para enfeitar a tua Alegria (que delicadeza de poema!)
Saudades,
Helena

27 de abril de 2015 às 20:44  
Blogger manuela barroso disse...

Um soneto maravilhoso, entre dois beijos de solidão!
E quem assim sente, não pode sentir-se farandolagem!
Fraterno abraço, carissimo amigo Sol!

29 de abril de 2015 às 15:20  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

achei a foto excelente para o soneto que parece uma prece.
um beijo
:)

29 de abril de 2015 às 15:44  
Blogger ॐ Shirley ॐ disse...

É sempre muito bom ler os seus sonetos, Sol.
Beijos !

30 de abril de 2015 às 00:47  
Blogger Brisa Petala disse...

Amigo
Poema simplesmente maravilhoso.amor é eterno e maravilhoso em sua essência, capaz de realizar as mais ... Mas, depois de algum tempo, a solidão começa a apertar o coração. ..Um abraço

30 de abril de 2015 às 04:05  
Blogger Vera Lúcia disse...

Olá Sol,

Tudo pode acontecer entre dois beijos, até o surgimento do amor. Todavia, se o amor não se estende para ambos além desses dois beijos, poderá restar
sentimentos de frustração e de solidão para aquele que entregou seu coração.

Mais um lindo e bem construído soneto de amor.

Abraço.

30 de abril de 2015 às 16:29  
Blogger Lilly Silva disse...

Boa noite Sol!
Ei aqui mais um maravilhoso poema de amor!!!
Aliás lindo, como todos os outros que já vi por aqui!...

Beijos e beijos

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

30 de abril de 2015 às 23:47  
Blogger São disse...

Um dos teus melhores poemas....

Beijos e abraços

1 de maio de 2015 às 17:44  
Blogger EU disse...

Muito forte este soneto!
Parabéns!
Bjo, Sol

24 de maio de 2015 às 00:18  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial