SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 16 de agosto de 2014

Comungantes







Confusão primitiva da origem do Ser!...
Babel de sentimentos,
Risos,
Troças,
Amores,
Ódios ou pudores.

Muito do passado
Que nos foi tão puro,
Na amálgama
Da nossa identidade,
Se perdeu.

Ao buscarmos na mente
O valor imenso
De tanta pureza,
Sentimos,
Da gentalha,
Esgares pungentes
De metralha;
Dedos apontados,
Acusadores,
Insensíveis,
Iguais a outros mais,
Alcandorados na ciência do saber...

...Retraídos,
Ficamos com a verdade plena,
Mas sem coragem de dizer
Que a Alma é inocência
Bem cheia de Amor.

Oh, se acordássemos
De tanta letargia,
Saberíamos ficar transparentes,
Invisíveis amantes,
Crianças na simplicidade.

Seríamos
Nós mesmos,
Os presentes
Da festa e da alegria,
A taça do Amor,
Os comungantes
Em tão feliz realidade.

 


SOL da Esteva

Etiquetas: , ,

30 Comentários:

Blogger Olinda Melo disse...


Buscar a simplicidade e a inocência de criança e olhar o mundo com novos
olhos.Um projecto de amor.

Abraço

Olinda

16 de agosto de 2014 às 09:42  
Blogger António Bernardo disse...

Não fosse eu,um "católico" não praticante, e voltaria a comungar,por ter lido o poeta.

16 de agosto de 2014 às 12:55  
Blogger Mariangela disse...


Não podemos mesmo, deixar que algo tão belo se perca....
Se ao menos o esforço existisse...
Tudo seria tão diferente!
Amei amigo!
Beijos,
Mariangela

16 de agosto de 2014 às 13:31  
Blogger Paulo Francisco disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

16 de agosto de 2014 às 14:15  
Blogger Paulo Francisco disse...

Oh, se acordássemos
De tanta letargia,
Saberíamos ficar transparentes,
Invisíveis amantes,
Crianças na simplicidade.



Seria tudo de bom! A vida seria mais leve e o mundo muito mais bonito.

Um grande abraço

16 de agosto de 2014 às 14:22  
Blogger Magia da Inês disse...

°º。✿
Onde existe amor tudo fica bonito.

Bom fim de semana!
Beijinhos.
·..✿✿⊱

16 de agosto de 2014 às 19:29  
Anonymous Anónimo disse...

Amigo!

Não consigo atingir a profundidade do poema!
Ultrapassa-me!
Mas sei que disse o que sentiu, como sempre.

Beijinho e bom fim de semana

F-M-

16 de agosto de 2014 às 22:30  
Blogger Evanir disse...

Li com carinho seu poema onde você coloca
todo seu coração.
Um amor que ultrapassa todo entendimento de uma vida
hoje repleta de saudades.
Feliz Domingo meu amigo.
Abraços,Evanir.

17 de agosto de 2014 às 02:42  
Blogger ONG ALERTA disse...

Vale tudo por amor...
Abraço Lisette.

17 de agosto de 2014 às 07:14  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Tudo no seu lugar, pois acho que disseste o que te vai na alma, e, como todas as almas são inocentes, acredito que quiseste dar asas ao verdadeiro amor, aquele que não necessita de comungar por saber amar.
Um abraço cá do Algarve.

17 de agosto de 2014 às 12:02  
Blogger Célia Rangel disse...

Ficarmos "Crianças na simplicidade"... Ah! Como seria bom se chegássemos a esse porto seguro da felicidade!
Abraços.

17 de agosto de 2014 às 15:59  
Blogger EU disse...

Bela poética dissertação sobre a questão do "Ser" ou da sua essência.
É preciso ousar ser, entre tanta gente comum. O incomum exige ser diferente...
Apreciei bastante, Sol!
Aos poucos retomo as visitas...
Bjo :)

18 de agosto de 2014 às 01:44  
Blogger LUCONI MARCIA MARIA disse...

Como vai Sol? Eu estou em falta com muitos amigos aqui, estou com duas filhas gestantes e com problemas então há meses estou num corre corre danado, mas hoje dei um jeitinho. Você nos presenteia com um poema belo e forte, ah se ousássemos ser nós mesmos, mas para isso teríamos que nos encontrar, voltar a essência, onde nosso olhar era puro e sabíamos que na simplicidade é que se encontrava os grandes tesouros da vida, bjos Luconi

18 de agosto de 2014 às 05:11  
Blogger Jossara Bes disse...

Oi Sol,
"Comungantes, em tão feliz realidade"!
Linda e profunda poesia! Uma análise do quanto nos deixamos "poluir" pela opinião alheia, quando na verdade, só buscamos ser felizes!
Felicidades para você!

18 de agosto de 2014 às 14:20  
Blogger Dorli disse...

Oi Sol,
No Mundo em que vivemos com tanta maldade, infelizmente temos que nos defender.
Quem viveu uma infância pura, viveu; pois nem isso as crianças de hoje têm direito
Beijos no coração
Lua Singular

18 de agosto de 2014 às 17:17  
Blogger Sissym Mascarenhas disse...

Sol,

maravilha! olha, pensando no seu título, viu hoje a manchete dos jornais?!
um bandido rendeu ontem um padre na NS da Paz no momento que era celebrada uma missa! Como pode?!

Bjs

18 de agosto de 2014 às 22:01  
Blogger Evanir disse...

Com meu carinho de sempre venho agradecer
as palavras reconfortantes deixadas no meu blog.
Tudo isso me leva pra frente dizendo
continue ainda existe quem te quer bem do outro lado da telinha.
Ando protelando meu afastamento por
conta de pessoas tão importantes para mim como você é ,
a um longo tempo caminhando comigo.
Eu sou humilde demais , eu amo demais ,
eu me envolvo demais , eu luto demais ,
talvez seja essa garra que deixa
gente brava outras feliz e tão contente.
Hoje venho te pedir uma gentileza.
Apesar dos meu quase 10 anos de blog
por algumas vezes termino entrando
em alguma coisa , que me deixa feliz em participar
a mais de 5 anos deixei de participar de tudo nos blogs
por perder o encanto por muita coisa.
Veio o convite eu fui tentar ser poeta por um dia
hoje peço seu voto
se achar que meu poema vale seu voto.
Nome do meu poema?
"Você é minha Poesia"..
Endereço para votar.
http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com.br/
È complicado pra mim pedir voto,
pois sempre achei que merece ganhar sempre
todos os pemas.
È lindo mesmo que seja um único pensamento.
Caso for votar é votar e confirmar seu voto
é complicado ,
mais acredito no seu potencial de
votar e de escolher.
Um abraço cheio de carinho.
Evanir.
PS.Quando terminar farei uma
postagem como o nome de todos amigos
que confiaram em mim seu voto.
Sol isso é um momento de distração é chato pedir voto ,
mais confesso estou feliz de ver gente de varios Países
votando no meu poema .
Abraços amigo.

19 de agosto de 2014 às 21:52  
Blogger Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Solamigo

Hoje não comento, prontos (sem s)

Não precisas de me enviar o endereço deste blogue pois venho cá frequentissimamérrimamente e cometo, ups, comento sempre que estou praí virado.

Estas duas açucenas estão muito bem engendradas e muito bem escritas, o que é habitual nos teus textos. Mas (há sempre uma desgraçada de uma adversativa...) quero fazer-te um peidido, ups, pedido:

Quando sair o meu livro de crónicas vê se comparas 13; pois serão muito úteis como prendas de aniversários, de casamentos, de baptizados, de primeiras comunhões, de crismas, de Natal, de Ano Novo, de bodas diversas, de velórios e de divórcios.

Além disso espero/ordeno que faças propaganda/publicidade do dito cujo. Para tanto mandarei-te a data do lançamento onde estarás, bem como as tuas Amigas e os teus Amigos. Se não o fizeres - capo-te...

Abç

19 de agosto de 2014 às 22:14  
Blogger lis disse...

A poesia sempre remete a esperança de um mundo mais justo _ assim 'transparente, sensível e simples como o olhar de uma criança'
Bonito demais Sol
abraço

20 de agosto de 2014 às 00:39  
Anonymous David C. disse...

una taza de amor como mencionas en el texto, esa es la clave para la humanidad.
saludos
David cotos

20 de agosto de 2014 às 01:40  
Blogger Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido amigo

Uma introspecção que todos devemos fazer. Um poema profundo de procura de valores que se vão perdendo.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

20 de agosto de 2014 às 01:43  
Blogger Janita disse...

Querido SOL

No mais fundo do nosso íntimo, somos seres errantes, babel se sentimentos por muitas vezes os não entendermos.
Seia bom, sim, se esta profunda letargia em que o passar dos anos nos transformou, retrocedesse e pudéssemos voltar a ser crianças, plenas de amores inocentes e esperançados!

Beijinhos com admiração e afecto.

Janita

20 de agosto de 2014 às 17:53  
Blogger Silenciosamente ouvindo... disse...

Mais uma excelente poesia do amigo.
É sempre mtº. bom vir aqui.
Desejo que esteja bem.
Um abraço
Irene Alves

21 de agosto de 2014 às 20:06  
Blogger Dorli disse...

Oi Sol,
Obrigada pelo carinho.
Amanhã vou ter uma participação no meu blog e gostaria da sua apreciação que é muito importante pra mim
Beijos
Lua Singular

21 de agosto de 2014 às 22:46  
Blogger Rosemildo Sales Furtado disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

22 de agosto de 2014 às 00:35  
Blogger Rosemildo Sales Furtado disse...

Eis que mais uma vez, nos presenteias com mais um belo poema. Essas são as transformações, cujas quais, todos estamos sujeitos.

Abraços,

Furtado.

22 de agosto de 2014 às 01:36  
Blogger António Bernardo disse...

Para Henrique ANTUNES FERREIRA

Independentemente de ser o comentário mais ridículo que alguma aqui li, gostaria de saber como poderei adquirir 13 (treze) livros? Aguardo resposta. Obrigado.

22 de agosto de 2014 às 18:12  
Blogger Manuel disse...

Hoje, caro amigo, a poesia estava contigo.
Poema que nos transporta a uma realidade que nos leva embalados na procura de sonhos que vivem dentro de nós.

22 de agosto de 2014 às 21:39  
Blogger Fred Caju disse...

Fazia um tempo que não vinha por aqui. Surpreso em ver uma produção além dos sonetos.

25 de agosto de 2014 às 13:08  
Blogger EU disse...

Que importam os olhares alheios, insensíveis à sensibilidade?
Importa ser e defender o que somos, Sol. Gostei imenso.
Bjo :)

6 de setembro de 2014 às 00:39  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial