SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 28 de junho de 2014

Irreal







De saudades, eu vivo cada dia,
Na ânsia, imensa, de poder beijar-te.
Era simples e sei que viveria
Intensamente, o meu querer, amar-te...

A minha Alma tornou-se, vazia,
No desejo vão de um dia sonhar-te.
Morresse, para sempre, a nostalgia
E sobrasse só: o acompanhar-te.

Então, o mundo inteiro transbordava
Por não ser mito, aquilo que guardava
Dentro do meu peito, palpitante...

Mas eu não posso ter o irreal,
Embora seja, ele, o ideal,
Que eu retenho, em ti, a cada instante.



 

SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

28 Comentários:

Blogger Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amigo! Passando para agradecer a tua visita e amável comentário, assim como apreciar este teu belo soneto, com ênfase para o quarteto abaixo:

A minha Alma tornou-se, vazia,
No desejo vão de um dia sonhar-te.
Morresse, para sempre, a nostalgia
E sobrasse só: o acompanhar-te.

Abraços e um ótimo final de semana para ti e para os teus.

Furtado.

28 de junho de 2014 às 01:26  
Blogger Carmem Grinheiro disse...

Bom dia, Sol
A saudade sufoca-nos a alma.

Abço amigo e bom fds

28 de junho de 2014 às 11:44  
Blogger Mariangela disse...

Quando nos resta só a saudade... é ela que alimenta a nossa alma, mesmo sufocando o nosso coração.
Tudo que escreve é lindo...
Beijos,
Mariangela

28 de junho de 2014 às 13:37  
Blogger Eduardo Maria Nunes disse...

Pois é poeta Sol da Esteva,
há tanta coisa irreal
que a gente não mereça
aqui no nosso Portugal!

O tempo passa a correr,
como o alentejano sem pressa
fica a saudade que a gente ter
mas, nunca de falsa promessa!

Que o nosso Portugal,
pois eu ainda acredito
com certeza que é ideal
no teu poema escrito.

Bom fim de semana, um abraço.
Eduardo.

28 de junho de 2014 às 14:15  
Blogger Juvenal Amado disse...

Com a sensibilidade de sempre.
Agradecido por me incluíres neste belíssimo circulo de amizade.

Um abraço

Juvenal Amado

28 de junho de 2014 às 14:45  
Blogger ONG ALERTA disse...

Podemos ter o verdadeiro, abraço Lisette.

28 de junho de 2014 às 22:28  
Blogger Célia Rangel disse...

"Ter o Irreal"... é sufocante viver assim apenas no imaginário! Sei o quanto é doido!
Abraço.

29 de junho de 2014 às 01:27  
Blogger Nilson Barcelli disse...

O amor tanto pode ser real como irreal. Não há escolha...
Mas bem real é a valia de mais este teu magnífico soneto. Brilhante.
Bom domingo, caro amigo.
Abraço.

29 de junho de 2014 às 11:12  
Blogger Lilá(s) disse...

Passando para desejar bom fim de semana e apreciar mais uma das tuas belas criações.
Bjs

29 de junho de 2014 às 11:41  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Interessante como nós conseguimos transportar o irreal para uma criação verdadeira.
Teu soneto, mostrou isso, pois mantém o ideal + o irreal, em ti, em cada instante.
Um abraço cá do Algarve

29 de junho de 2014 às 12:34  
Blogger Rita Sperchi disse...

Bom dia de domingo!

Eu Aprendi
Que são os pequenos acontecimentos
diários que tornam a vida espetacular;
Que cada pessoa que a gente conhece
deve ser saudada com um sorriso!

___________William Shakespeare

Abraços de uma boa semana

└──●► *Rita!!

29 de junho de 2014 às 14:59  
Blogger Magia da Inês disse...

•°♡♡彡º°。
A fotografia é tão surreal como o poema.

Bom domingo e boa semana!
Beijinhos.
¸.•°♪♬♫º°

29 de junho de 2014 às 15:48  
Blogger Pérola disse...

Um poema que transborda de paixão, amor e tudo que faz sonhar.

Cada vez gosto mais de te ler, amigo.

Beijinhos

29 de junho de 2014 às 22:14  
Blogger Dorli disse...

Oi Sol,
Não se ama o irreal, ele vem para não nos sentirmos sós.
Que foto linda!
Beijos no coração
Lua Singular

30 de junho de 2014 às 02:24  
Blogger Jossara Bes disse...

Querido Amigo Sol,
O irreal é perfeito, pois "desenhamos" da maneira que idealizamos!
Graças a Deus possamos (de vez em quando) buscar refugio no irreal perfeito
que projetamos!
Felicidades, amigo Poeta!

30 de junho de 2014 às 12:42  
Blogger Fá menor disse...

Saudades, essa palavra tão portuguesa que nos rói a alma...

Beijinhos

30 de junho de 2014 às 20:18  
Blogger Tunin disse...

O sonhar pinta em nossas mentes o efeito do irreal. Beleza!
Abração.

30 de junho de 2014 às 21:01  
Anonymous Anónimo disse...

Amigo

Nunca desista do sonho!`
O poema tá muito bonito, e eles próprios, "poemas e sonhos", existem para não nos desesperar-mos.

Beijinho

F.M.





2

1 de julho de 2014 às 20:25  
Blogger Teresa Almeida disse...

Vive em cada poeta esta ânsia, esta infinita sede!
Gosto de ler a tua!
No meu blogue escreve sempre o teu sentir. Sabes que gosto.
Beijo meu.

1 de julho de 2014 às 20:31  
Blogger Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido Sol

Por vezes queremos que o que sonhamos se torne realidade, mas o destino troca as voltas.
Como sempre adorei.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

2 de julho de 2014 às 00:56  
Blogger Lilá(s) disse...

Muitas emoções transmitem as tuas poesias!
Adorei como sempre.
Bjs

3 de julho de 2014 às 23:23  
Blogger Manuel disse...

O irreal apenas existe no nosso pensamento.
O real existe no encanto dos teus poemas.
Um abraço

4 de julho de 2014 às 13:26  
Blogger Dorli disse...

Olá Sol,
Gostei do seu comentário; mas tem gente que se enrola como um caracol que o cobertor fica-lhe grande, cabendo dentro dele muitos caracoizinhos.kkk
Beijos no coração
Lua Singular

4 de julho de 2014 às 18:38  
Blogger Dorli disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

4 de julho de 2014 às 18:41  
Blogger manuela barroso disse...

Meu querido amigo Sol,
... o real e o ireal andam tantas vezes de mãos dadas que na angústia de querer distinguir os caminhos, baixamos os braços de resignação ou impotência na nossa pequenez.. Real é o Amor que transportamos no ideal que sonhamos e que se concretiza na imortalidade dos sonetos. Como este!
Grande abraço, querido amigo

4 de julho de 2014 às 22:21  
Blogger Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi amigo! Retornando para desejar um final de semana com muita paz e saúde para ti e para os teus.

Abraços,

Furtado.

5 de julho de 2014 às 01:51  
Anonymous Anónimo disse...

Sol

Quando não se pode ter mais nada, o sonho é o que resta, e a fé em poder continuar sonhando!
Gostei muito do poema.

Beijinho

F.M.

7 de julho de 2014 às 20:28  
Blogger Dora Regina disse...

Amigo Sol,
Estou aqui mais uma vez lendo seus lindos poemas.
Abraços!

22 de julho de 2014 às 04:30  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial