SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 7 de maio de 2016

Quem me dera




Minha Vida é triste,
É triste, coitada.
Eu sinto que existe,
Mas não vejo nada.

E ao acordar,
Devia ter Vida.
Mas não vou negar
Que a sinto perdida.

No meu atardar,
No final do dia,
Não a vou achar
Na escassa alegria.

Perdido, de triste,
No meio do nada,
Já sinto que existe
A hora marcada.

Aí, pela certa,
Nada nos segura.
É a porta aberta
Nesta vida impura.

Quem me dera ter
Outra ocasião,
Para refazer
Vida e coração.


SOL da Esteva

Etiquetas: ,

22 Comentários:

Blogger Sara com Cafe disse...

poderia ser uma escrita minha... me descreveu. abraço profundo.

7 de maio de 2016 às 14:53  
Blogger Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, poema triste mas real, é lindo o que escreveu,
"No meu atardar,
No final do dia,
Não a vou achar
Na escassa alegria."

Talvez seja o que acontece á maioria das pessoas.
Bom fim de semana,
AG

7 de maio de 2016 às 15:30  
Blogger Jossara Bes disse...

Oi Sol!
Querido amigo, as vezes a "vida dói"!
A poesia é o antídoto!
Beijo carinhoso!

7 de maio de 2016 às 21:10  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
A vida nos da rasteiras que nunca queremos acreditar.Às vezes nos ataca na infância, na adolescência ou na velhice. Muitos escapam se morrem novos.
Dê um feliz dia das mães a sua esposa
Beijos
Lua Singular

7 de maio de 2016 às 23:45  
Blogger Gracita disse...

Querido amigo
Há momentos que a tristeza nos invade e temos a sensação de a alegria se esvaiu como nuvem de fumaça
Mas... na vida tudo passa e a tristeza também vai passar e num tardar imensurável a alegria há voltar para alegrar o coração
Um lindo poema com palavras profundas que trazem à tona uma triste melancolia
Que você tenha um domingo feliz e abençoado
Um grande beijo no coração

8 de maio de 2016 às 01:23  
Blogger Célia Rangel disse...

Creio ser nesses momentos que amadurecemos para a vida. Refazer, recomeçar... ações a serem projetadas na visão de dias melhores. Desistir jamais!
Abraço.

8 de maio de 2016 às 02:36  
Blogger Julio Vilar pereira Pinto disse...

Como as coisas são belas até quando vamos ficando mais perto do fim da estrada.
Abraço amigo.

8 de maio de 2016 às 15:01  
Blogger Julio Vilar pereira Pinto disse...

Como as coisas são belas até quando vamos ficando mais perto do fim da estrada.
Abraço amigo.

8 de maio de 2016 às 15:01  
Blogger Jaime Portela disse...

Infelizmente, talvez só tenhamos mesmo apenas uma vida.
Por isso, há que a aproveitar ao máximo antes da hora marcada...
Magnífico poema, gostei imenso.
Boa semana, caro amigo Sol.
Abraço.

9 de maio de 2016 às 13:04  
Anonymous Arte & Emoçoes disse...

Realmente, há momentos em que achamos ser meros robots. Daí, a necessidade de acordar e partirmos para a vida que, por sinal, é curta e devemos aproveitá-la o máximo. Lindo poema!

Abraços,

Furtado.

9 de maio de 2016 às 16:19  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
Gostei do seu comentários.
Eu não tenho quase rugas, mas sou um pouco gordinha( adoro cozinhar)
Você pode me ver no face meu ou do meu filho Cristovam Ramos Neto, nós estávamos no restaurante( sou um pouco triste por causa das dores, logo vão passar com o bisturi.
Beijos no coração
Lua Singular

9 de maio de 2016 às 19:00  
Blogger Dorli Ramos disse...

Oi Sol.
A dor da alma que sinto foi a perda do meu "pai", morreu sem ter nenhuma gripe. Morreu de saudade da sua amada.
Ele não pensou em mim, agora fica essa dor na minha alma.
Beijos
Minicontista2

9 de maio de 2016 às 19:54  
Blogger Dora Regina disse...

Foi muito bom ler essa poesia, há momentos que nos sentimos assim, mas temos um Deus que é maior que as nossas tristezas. Amigo Sol, que Deus ilumine seu caminhar!!
Beijos!

9 de maio de 2016 às 23:08  
Blogger Sara com Cafe disse...

linda semana e abraço profundo.

10 de maio de 2016 às 04:42  
Blogger Odete Ferreira disse...

Um profundo e sentido lamento que, vertido em quadras de cinco sílabas métricas, intensifica a tristeza. Desejo que seja apenas um momento.
Bjo, Sol

10 de maio de 2016 às 18:39  
Blogger Vera Lúcia disse...

Olá, caro Sol.

Gostei muito do estilo do seu poema. As quadras curtas e bem construídas são muito agradáveis de serem lidas, não obstante a desolação espelhada nos versos.
Você é sempre brilhante e inspirado em suas criações poéticas.

Obrigada por sua visita em minha postagem sobre a pausa do meu recanto. Demorei um pouco a chegar para retribui-la por imperativos da vida real.

Até breve!

Abraço.

11 de maio de 2016 às 19:13  
Blogger Jaime Portela disse...

Gostei de reler o teu excelente poema.
Continuação de boa semana, caro amigo Sol.
Abraço.

12 de maio de 2016 às 18:35  
Blogger Zilani Célia disse...

OI SOL!
MUITAS VEZES A TRISTEZA QUE SENTIMOS, FAZ COM QUE A VIDA, PAREÇA ESTAR A ESCAPAR POR ENTRE NOSSOS DEDOS, MAS, É DE LEI QUE SUPEREMOS OS REVEZES E BUSQUEMOS DENTRO DE NÓS LENITIVOS PARA QUE POSSAMOS. CONTINUAR.
LINDO DEMAIS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

13 de maio de 2016 às 00:59  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol
Obrigada pelo carinho
Um bom fim de semana
Lua Singular

13 de maio de 2016 às 20:16  
Blogger Dorli Ramos disse...

Oi Sol, eu ainda que tenho que operar os pés, tá todo mundo louco, mentiu que era cirurgião e o que gastei até ir lá? Eu quase derrubei a mesa de vidro dele. Ele disse pro meu marido: sua mulher precisa de um psiquiatra. Cheguei bem pertinho dele e disse: quem precisa de psiquiatra é você. Me aguarde.
Beijos
Minicontista2

14 de maio de 2016 às 00:08  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

quadras bem rimadas
a nostalgia impressa em todas
a vida aí está, é preciso inventar a alegria
um beijo
bom final de semana.

:)

14 de maio de 2016 às 14:23  
Blogger helia disse...

Um Poema triste mas muito bonito !

5 de junho de 2016 às 10:47  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial