SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 14 de novembro de 2015

Voz do Povo





Todos querem mandar
E ninguém obedecer.
Vai, um dia, acontecer
Que um Povo irá chorar.

Não chorará o perdido;
Chorará pela ilusão…
Se houve revolução
É porque foi iludido

E já se sentia mal.
Será, assim, Portugal?
"Quem tudo quer, tudo perde",

Como diz a Voz da gente.
Quando se crê em quem mente,
Só se tem quem nos deserde.


SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

22 Comentários:

Blogger Zilani Célia disse...

OI SOL!
ESTAMOS VIVENDO TODOS UM DESMANDO PARECENDO SER GLOBAL. NOSSOS PAÍSES ATRAVESSAM MAUS MOMENTOS, POR PURA FALTA DE DIGNIDADE E VONTADE DE GOVERNANTES INESCRUPULOSOS.
QUE DEUS NOS AJUDE A TODOS.
LINDO E SUGESTIVO TEXTO.
ABRÇS
-
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

15 de novembro de 2015 às 00:32  
Blogger Jaime Portela disse...

Somos peritos em acreditar em quem nos mente...
Um soneto excelente e oportuno, porque actual.
Bom domingo e boa semana, caro amigo Sol.
Um abraço.

15 de novembro de 2015 às 13:41  
Blogger Célia Rangel disse...

Uma herança maldita essa hein de se acomodar a mandos outros que nos submetem feito uma escravidão! "Burrinho de carga", conforme sua genial ilustração!
Abraço.

15 de novembro de 2015 às 15:01  
Blogger lua singular disse...

Oi Sol,
Que eu conheça a História do mundo sempre foi assim: vende-se gente, agora mata por prazer. É o fim. O que será da humanidade?
Beijos
Lua Singular

15 de novembro de 2015 às 17:54  
Blogger Gracita disse...

Oi amigo Sol
Estamos vivendo à mercê de mandantes inescrupulosos e corruptos que na época do pleito eleitoral se fingem de bonzinhos e aliados do povo. Conseguido o poder trata o povo como seus "burrinhos" numa total escravidão: moral, ética, econômica
E nós o permitimos porque acreditamos nas mentiras elaboradas com requinte
Uma boa semana caro amigo
Beijos no coração

15 de novembro de 2015 às 21:18  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Em três palavras:
- O mundo está perdido
É triste mas é verdade.

15 de novembro de 2015 às 22:31  
Blogger Vera Lúcia disse...

Olá Sol,

O povo é muito influenciável e de deixa iludir facilmente por políticos inescrupulosos, treinados para convencer com seus discursos. Há ainda aqueles que até vendem seus votos, em troca de favores, sem pensar no bem comum. Enquanto o povo não se politizar, escolhendo seus representantes com consciência, os políticos eleitos irão usar e abusar dos seus poderes.

Mais um excelente soneto de insurgimento.

Feliz semana.

Abraço..

16 de novembro de 2015 às 02:39  
Blogger CÉU disse...

"Voz do povo é voz de Deus", assim diz o ditado popular e acho k é inteiramente verdade. Todavia, acho k o povo, nós, temos de saber aquilo que queremos, ter regras, respeito e normas. "Tudo ao molho e fé em Deus" não dá e a isso chama-se Anarquia, k começou na Grécia Antiga.

Fazem-se revoluções, qdo são necessárias, e outras vezes, qdo o não são.
O Sol k é e será sempre um eterno militar e sabe k as nossas ex colónias exigiram a independência da Metrópole, aliás, não era o povo anónimo e quase analfabeto, k a pedia, mas sim outros, como Agostinho Neto k estudou e cá se formou, pke a influência da Rússia e de Cuba se fazia sentir fortemente.
Os Russos e os Cubanos incrementaram imenso essas ideias e as minas colocadas por lá e que mataram ou limitaram alguns militares portugueses, foram colocadas por eles, k estavam interessados nas riquezas, sobretudo de Angola.
Os africanos, em minha opinião, perderam mais do que nós, embora o capítulo "Retornados" seja histórico e nada fácil, inicialmente.
Eles foram para lá para melhorar condições de vida tal como Vasco da Gama foi descobrir o caminho marítimo para a Índia ao cheiro da canela e de outras especiarias e as terras eram nossas, portanto, Portugal é um país de aventureiros e marinheiros, sempre tentando serem "ricos", entre aspas, claro.

Temos de estar atentos ao futuro e não devemos deitar abaixo aquilo k já construímos, com tanto esforço.

Dias felizes.

Beijos.

16 de novembro de 2015 às 23:06  
Blogger Olinda Melo disse...

Esse provérbio, "Quem tudo quer tudo perde" traduz uma grande verdade. Quando se quer deitar a mão a tudo, sem procurar cuidar daquilo que já se tem e precisa da nossa atenção e do nosso carinho, acaba-se por ficar sem nada. Nem sempre o povo está no centro das preocupações. Chega um momento em que interesses vários falam mais alto.

Abraço
Olinda

17 de novembro de 2015 às 01:33  
Anonymous sofiaguerreira disse...

Agora é que tu falaste maravilhosamente bem,gostei de cada palavra e cada frase deste teu poema,de facto,quem será que irá governar este nosso Portugal e como ficaremos nós no futuro??? É uma pergunta que fica no ar,beijinhos fofinhos,espero que tenhas um fantástico mês de Novembro!! http://mundoteenagerofsophia.blogs.sapo.pt

17 de novembro de 2015 às 07:52  
Blogger Mariangela do Lago Vieira disse...

Infelizmente é assim mesmo...
Estamos sempre caindo em ciladas!
Acho que somos honestos demais, que acabamos por acreditar na honestidade
alheia...
E assim vamos nos dando mal!
Sol, que ótimo texto!
Beijos!
Mariângela

17 de novembro de 2015 às 15:20  
Blogger Mário Margaride disse...

Amigo Sol: Infelizmente, temos tido o longo destes anos falsos profetas. Espero bem, que se abram novos horizontes. Nunca percamos a esperança!

Belo soneto!
Abraço e boa semana!

Mário

18 de novembro de 2015 às 11:48  
Blogger Manuel disse...

É uma grande verdade só, que quem quer, nem sempre sabe.
Muito apropriado ao período que estamos a viver, não só por cá, mas por todo o mundo.
Belo soneto!

18 de novembro de 2015 às 14:09  
Blogger MARILENE disse...

Meu amigo, o ouro dos tolos pode ser bem enganador. E acorrenta em desilusão e sofrimento. O verbo "pensar" não está sendo conjugado, o que facilita o desencontro dos interesses e oculta o caminho correto para uma luta digna. Abraço.

18 de novembro de 2015 às 19:13  
Blogger Mar Arável disse...

Quando o povo quiser

ninguém mais o vai ordenhar

18 de novembro de 2015 às 20:03  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

um soneto que é um grito/revolta ao tempo actual....

muito bem conseguido!
beijinho

:)

19 de novembro de 2015 às 20:52  
Blogger Labirinto de Emoções disse...

Olá Sol
Maior cego é aquele que não quer ver e tem memória curta ... nisso Portugal é um belo exemplo!
Um beijinho
Teresa

19 de novembro de 2015 às 21:05  
Blogger Jaime Portela disse...

Gostei de reler o seu excelente soneto.
Fico à espera de mais...
Tenha um bom fim de semana, caro amigo Sol.
Abraço.

20 de novembro de 2015 às 12:09  
Blogger Parapeito disse...

Gostei deste alerta.
Mas o povo gosta de escutar o que mais lhe convém...e depois diz-se : Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade .
Ai este mundo!
Abraço e brisas doces *

20 de novembro de 2015 às 21:14  
Anonymous A Princesa da Casa disse...

Excelente soneto, muito actual, pois claro!

20 de novembro de 2015 às 23:37  
Blogger Odete Ferreira disse...

Muito pertinente este teu soneto na atual situação.
Parabéns pelo engenho e arte.
Bjo, amigo :)

23 de novembro de 2015 às 01:46  
Blogger Evanir disse...

Hoje decidi deixar uma pequena homenagem
a nossos idosos .
Aquele que são a razão do nosso
existir e viver.
Sem duvidas me coloco entre eles
no lugar deles confesso é triste o abandono.
A você na flor da vida com um longo
comigo quem sabe gostará de ler e ver um futuro
que vivendo passaremos por ele uma dia.
Benção de Deus para sua semana.
Beijos saudades.
Evanir.

30 de novembro de 2015 às 17:44  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial