SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 13 de setembro de 2014

Privação







Nada mais há, no peito, que a saudade,
Não do tempo, de ti, que eu anseio,
Mas de abraços que são realidade,
Não fôra haver vazios de permeio...

Eu sofro e sofres! É essa verdade
Que nos afasta ou une, ou tem no seio;
É tanta que nos queima a mocidade,
Da pouca que nos resta do passeio.

Lamento, por nós dois, essa tristeza
Que a outros corresponde a pouca sorte...
Proclamo-o, sentido: antes a morte

Que dê a cada um sua leveza
E não oprima tanto o coração
Que, lento, se esvai em privação...



SOL da Esteva

Etiquetas: , , ,

25 Comentários:

Blogger António Bernardo disse...

O Amor elevado à sua plenitude.

13 de setembro de 2014 às 08:39  
Blogger Gracita disse...

Bom dia pra você amigo Sol!
Quando acordamos e colocamos um sorriso no rosto, o dia promete ser maravilhoso. Então faça com que seu dia seja assim... simplesmente um luxo!
Muita luz e paz neste final de semana. Beijos e afagos no coração.
Gracita

V

13 de setembro de 2014 às 09:51  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Meu amigo...
A saudade, por vezes, sugere tristeza e se ela, a saudade, oprime o coração, ah! então mais vale ficar alheio a tudo...
Um bom fim de semana.

13 de setembro de 2014 às 17:09  
Blogger Célia Rangel disse...

Sabe, SOL, que comigo, em minhas privações, sempre aprendo novas estratégias, com novas pessoas e, situações que me trazem novas emoções.
Que reflexão, a sua! Mergulhe que tenho certeza que lhe trará um bem maior...
Abraço.

13 de setembro de 2014 às 21:32  
Blogger Edumanes disse...

O teu poema, amigo Sol da Esteva!
é um punhado de letras com saudade
com duas maçãs quem se ama se premeia
uma mão cheia de amor, carinho e felicidade.

Um homem e uma mulher,
tinham 3 filhos e só tinham duas maçãs
para dividir por eles os três...
Um dos três disse para o pai e para a mãe,
podem dar as maçãs, uma a cada do dos meus irmãos
depois cada qual dá-me metade da sua maçã!

Boa noite e bom domingo, um abraço.
Eduardo.

14 de setembro de 2014 às 00:11  
Blogger Evanir disse...

A vida é uma luta para que
eu viva com coragem e consciência de minhas limitações,
é preciso ter coragem para ser feliz!
Não é nada fácil termos a coragem de nos atirarmos na luta
todos os dias para tanto é preciso ter fé e esperança.
A vida é um caminho a ser percorrido
infinitamente único e sem atalhos.
Quantos encontros e desencontros
vivenciamos beleza risos ,
mais também temos dificuldades.
Um pensamento te deixo
desejando um abençoado final de semana.
beijos meus.
Evanir.
Amigo saudades dói o peito e faz chorar a alma.

14 de setembro de 2014 às 00:54  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

um soneto muito bem construído, mas muito triste...

bom domingo

:)

14 de setembro de 2014 às 09:51  
Blogger ॐ Shirley ॐ disse...

O amor deveria nos trazer apenas alegrias...Seria tão bom se pudéssemos, todos os dias, "acordar sonhando"...
Belo soneto, Sol!
Bom domingo, beijos!

14 de setembro de 2014 às 12:42  
Blogger Gracita disse...

Tempos idos... amores vividos... Nada de privação ou tristeza caminhar e reascender a chama da paixão e deixar feliz o coração eu querido amigo
Beijos no coração

14 de setembro de 2014 às 15:48  
Anonymous Helena disse...

Um soneto belo, porém de uma tristeza que me tocou a alma! Bem sei o que é este sentimento de amor que não se realiza, que não deixa os amantes caminharem juntos por mais que desejem percorrer juntos a mesma estrada... Fica essa dor alojada no coração, mostrando a todo momento que a privação é mestra da saudade, da tristeza, e de tantos outros sentimentos negativos que se aproveitam da situação para instalar-se definitivamente naquele cantinho do peito onde antes habitava tanta felicidade...
A imagem, querido amigo, também significativamente bela!
Que sorrisos e estrelas possam te acompanhar sempre, e que tua semana seja inundada de alegrias.
Com carinho,
Helena

14 de setembro de 2014 às 16:55  
Blogger Rosemildo Sales Furtado disse...

Não existe maior sofrimento, do que a privação daquilo que nos alimenta, o amor. Lindo soneto amigo.

Abraços,

Furtado.

14 de setembro de 2014 às 21:19  
Blogger Dorli disse...

Oi Sol,
Que poesia triste!
Ainda restam duas maçãs, uma para você e outra para o seu amor.
Tristezas todos têm, cada um de um jeito diferente, então o que resta? Esperança!!
Beijos no coração
Lua Singular

14 de setembro de 2014 às 22:09  
Blogger Mariangela disse...

Esse enorme querer, que é o amor, faz o nosso coração transbordar de felicidades... Como também, causa-nos tantas tristezas! Mas nada como nos apegar na esperança de dias melhores!
Linda posia Sol!
Beijos,
Mariangela

15 de setembro de 2014 às 17:23  
Blogger EU disse...

Belo soneto, Sol. Parabéns!
Na verdade, a privação de abraços causados pela ausência ou impossibilidade da presença são dor, pois a lembrança do sentir é muito ténue...
Meu beijo :)

16 de setembro de 2014 às 02:09  
Blogger Jossara Bes disse...

Querido amigo, Sol!
"Saudade é o amor que fica"!
E enquanto estivermos por aqui, que possamos sentir saudade!
Linda poesia!
Felicidades para você!

16 de setembro de 2014 às 11:26  
Blogger Fá menor disse...

Um poema sofrido. Seria tão bom que pudesse sempre haver abraços que curassem todas as dores!

Bjs

16 de setembro de 2014 às 16:41  
Blogger MARILENE disse...

Sofrem dois na caminhada. E a distância é tão pequena! A privação do carinho machuca. Costuma bastar um gesto para que se expulse a doída saudade. Um lindo soneto. Abraço.

16 de setembro de 2014 às 20:02  
Blogger Rosemildo Sales Furtado disse...

Que esta noite seja de linda e de muita paz para ti e para os teus.

Um forte abraço,

Furtado.

16 de setembro de 2014 às 20:26  
Blogger Paloma Viricio disse...

Poema triste, mas muito bonito...eu particularmente gosto dos mais sofridos! Parabéns.
Beijos!
Monólogo de Julieta

16 de setembro de 2014 às 22:19  
Blogger Tais Luso disse...

Os poemas mais lindos são esses que exalam dor, por que será?
Será porque ficamos solidários com a dor do outro?
Belo e triste, aplausos pra você, Sol!

17 de setembro de 2014 às 01:22  
Blogger Nilson Barcelli disse...

Mais um excelente poema.
Que raia a perfeição...
Bom resto de semana, caro amigo.
Abraço.

17 de setembro de 2014 às 18:46  
Blogger David C. disse...

Un buen final para el poema le otorgas.
Saludos
David C.

19 de setembro de 2014 às 03:39  
Blogger Manuel disse...

Melancolia, saudade, tristeza são sentimentos que moram na alma de um poeta.
O libertar em versos toda a dor que os oprime, dá beleza e alimentam a poesia.
Como demore um bom soneto.

20 de setembro de 2014 às 01:08  
Blogger Teresa Almeida disse...

A dor, a ausência e a saudade continuam a marcar o teu belo e inspirado caminho poético. Como uma sina!
Beijo.

20 de setembro de 2014 às 19:50  
Blogger EU disse...

Belíssimo, Sol.
A temática da saudade e afins brilha, poeticamente, neste género lírico.
Parabéns!
Bjo :)

24 de outubro de 2014 às 23:30  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial