SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ABRAÇOS,------SOL da Esteva

sábado, 21 de junho de 2014

Noite de Junho







Noite, esta,
Cheia de Promessas,
Na ânsia louca de ver-te,
Ao pensar em ti...

Noite de calor,
De Amor,
No Verão, de Junho,
Húmido e quente,
Em que mais a Alma sente
A saudade
Do aconchego dos teus braços.

Os desejos
Dos teus beijos
(há quanto tempo!?...)
Nesta noite de promessas
Vejo
A tua imagem
A sorrir de Amor,
Do porvir...

Sei que sofres
A tua nostalgia,
Saudades de outro dia
Que já foi real.

Noite de encanto,
Mas, no entanto,
Sinto o teu sofrimento,
Ou é apenas o relento
Do sonhar em noite quente,
De estrelas brilhantes
Como tu?

Estrela da noite maravilhosa,
Amante perfeita,
Pura, de cristal,
Transparente, irreal...
Antes a tortura da saudade,
Dum momento,
No desejo dum beijo,
Da tua imagem,
Um abraço
Que a loucura dos Homens
Tornou afastamento
E realidade.

Quero que seja noite,
No pensamento ausente,
Permanente,
Mesmo na lonjura
Das núpcias
Da noite de veludo,
Maravilhosa,
Num amar eterno...

Um dia...
Para sempre
E a cada instante,
A presença ondulante
Do pensamento
Que anseia por ti.


 

SOL da Esteva



 

Etiquetas: , ,

32 Comentários:

Blogger Maria Luiza disse...

Está de suspirar, amigo! Tanto amor sentido! Um abraço!

21 de junho de 2014 às 16:30  
Blogger Mariangela disse...

Querido amigo sol, esse poema está de arrepiar os corações.
E a noite? Inimiga ou amiga dos amantes...
Sempre ela a despertar sentimentos arrebatadores em nós, como este, que fez você compor esse lindo poema.
Um abração!!
Mariangela

21 de junho de 2014 às 19:02  
Blogger Mariazita disse...

Meu querido SOL
Um poema bem diferente do que é habitual, mas muito bonito.
Tem um enorme ritmo, quase se lê a cantar!
A noite, inspiradora, sempre favorecendo os amores e os poetas.
MUITO BOM!

Um óptimo Domingo.
Beijinhos

21 de junho de 2014 às 19:48  
Blogger Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Sol.
Poema que encanta tendo a ambiguidade da noite, ora como amiga, ora como inimiga, presa da saudade.
De qualquer modo, o que vale aqui é o sentimento, que a despeito de tudo, vive, se eterniza, sempre.
Parabéns.
Um lindo fim de semana de paz!
Beijos na alma.

21 de junho de 2014 às 21:33  
Blogger António Manuel - Tómanel disse...

Meu caro amigo, este teu poema encanta todo o amante da noite, principalmente, daquelas noites de verão, há nesta noite um feitiço que não sei explicar, não é noite, não é dia, só há sombras fugidias..
Um abraço cá do Algarve.

21 de junho de 2014 às 21:53  
Anonymous Anónimo disse...

Viva Sol!

Gostei da mudança de estilo, para o tema livre!
é tão bom deixar falar o coração!

Abraço fraterno

F.M.

22 de junho de 2014 às 00:41  
Blogger Patricia Galis disse...

Que belo poema amei estes versos:

Quero que seja noite,
No pensamento ausente,
Permanente,
Mesmo na lonjura
Das núpcias
Da noite de veludo,
Maravilhosa,
Num amar eterno...

22 de junho de 2014 às 01:09  
Blogger Célia Rangel disse...

Um poema que traduz a essência amorosa que é eterna. A "tortura da saudade" em um beijo e abraço é bálsamo para os corações apaixonados - sempre!
Abraços.

22 de junho de 2014 às 01:52  
Blogger São disse...

Belo poema , em que está bem patente a dor de se estar longe de quem se ama...

Bom domingo!

22 de junho de 2014 às 16:18  
Blogger Eduardo Maria Nunes disse...

Noites de Junho!
no céu estrela brilhante
à beira do rio verde junco
na paisagem verdejante.

Realidade é sem dívida!
uma desgraça constante
sem amor e sem ternura
é mais triste a vida da gente.

Ao seu comentário respondendo,
lá no meu blog, é tão verdade assim
porque uns tudo estão comendo
assim não vai lá não
não são punidos sim
continuam a roubar o pão
nunca mais terá fim
a política do ladrão
até quando aguenta
esta a nova geração
não porá fim à contenda
porquanto não há união!

Resto de bom domingo, um abraço.
Eduardo.

22 de junho de 2014 às 16:36  
Blogger manuela barroso disse...

Querido amigo,
de saber-te tão sonetista, o verso livre em ti tem uma magia muuito especial.
Dexadas as rimas, o coração parte à procura da rima que só ele tem.
Quanto ao Gerês , sendo um livro a duas mãos, uma fala do Gerês ( terra natal), outra fala da Maia ( onde a Teresa mora) onde uma fala do mesmo tema à outra Daí a confusão. Lá, nada há de poeira, só pureza no ar! :)
Beijinhos!

22 de junho de 2014 às 16:47  
Blogger Dorli disse...

Oi Sol,
Um verdadeiro poema de uma verdadeira vida vivida com anseios e amor
Bravo!
Beijos
Lua Singular

22 de junho de 2014 às 17:08  
Blogger Dora Regina disse...

Amigo Sol, este poema lava a alma de qualquer um que o lê...
Gostei muito!
Grande abraço!

22 de junho de 2014 às 18:32  
Blogger Maria Emilia Moreira disse...

Olá amigo Sol!
As noites de Junho são muito inspiradoras...o amor anda no ar e salta em cada virar de esquina...
Um poema cheio de "garra". Parabéns"
Um abraço.

22 de junho de 2014 às 21:15  
Blogger Zilani Célia disse...

OI SOL!
SAUDADES QUE VAI ALÉM DA PRESENÇA FÍSICA.
LINDO DEMAIS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

23 de junho de 2014 às 00:34  
Blogger Aleatoriamente disse...

Lindo!

23 de junho de 2014 às 01:57  
Blogger ॐ Shirley ॐ disse...

Anseio, saudade, lembrança...Muito lindo, Sol.
Beijo e muita paz!

23 de junho de 2014 às 02:00  
Blogger Manuel disse...

Um dia li escrito, por ti, que gostavas de escrever como eu. Hoje, digo, gostava de ter todo esse romantismo que tão bem alimentas.
Um baraço

23 de junho de 2014 às 15:57  
Blogger helia disse...

As noites de Junho são lindas e este Poema é excelente !
Uma boa semana

23 de junho de 2014 às 18:12  
Blogger Dorli disse...

Oi Sol
As noites sem luar, às vezes, permeiam nossa mente.
Obrigada pelo carinho
Beijos
Lua Singular

23 de junho de 2014 às 18:41  
Blogger Eduardo Maria Nunes disse...

Obrigado amigo Sol da Esteva, pela visita,
aqui a resposta ao seu comentário!

De verdade, se assim fosse!
deitados ou não no sofá
em Portugal não haveria fome
com tantas notícias que a TV, nos dá
Mais mentiras do que verdades
por onde é que andará
quem faça menos disparates!

Um abraço,
Eduardo.

23 de junho de 2014 às 19:11  
Blogger Evanir disse...

As coisas que passamos, são, por si mesmas, passado.
Acreditar no amanhã é construir a Fé que nos catapulta para olhar o futuro.
O optimismo é metade do caminho que não damos conta.
Saber e conhecer o silêncio da Alma é fundamento adequado.
Os lamentos e gemidos apenas alegram os que não nos querem bem.
Ter Fé é... Acreditar.
Eu creio!
(Sol)
A vida é o bem maior que Deus
nos presenteou.
Cabe a nós cuidar zelar
do corpo ,alma e espirito.
E nessa caminhada também
cabe a mim: zelar das amizades
linda que Deus me deu ,
que estraram na minha vida
para auxiliar na minha jornada.
Para que meu fardo se torne mais leve
vocês meus tesouros caminha ao meu lado sempre.
Beijos de carinho e gratidão.
Evanir.

23 de junho de 2014 às 21:41  
Blogger Evanir disse...

Obrigada meu amigo caso for no meu blog verá
porque trouxe comigo seu comentário.
Amigo seu poema fez brotar doces lagrimas
no meu triste olhar.
È comovente anjo amigo.
Beijos mil.
Evanir.

23 de junho de 2014 às 21:43  
Blogger Rui - Olhar d'Ouro disse...

Maravilhoso poema, bem intenso e profundo!
Abraço

25 de junho de 2014 às 11:29  
Blogger M D Roque disse...

A noite é linda e o poema também.
Adorei ler.
Abraço. D

http://acontarvindodoceu.blogspot.pt

26 de junho de 2014 às 11:18  
Blogger Teresa Almeida disse...

O verão acontece no teu poema que arde no desejo de possuí-lo.
Beijo meu.

26 de junho de 2014 às 15:00  
Blogger Tunin disse...

Por aqui, as noites de junho são frias, aquecidas apenas pelo calor das fogueiras e fogos que pipocam pelos ares do nordeste.No mais, o teu poema aprofunda as nossas almas no intenso fervor do teu poetar.
Abração.

26 de junho de 2014 às 15:18  
Blogger Fá menor disse...

Noites delirantes...

beijinhos

26 de junho de 2014 às 16:24  
Blogger Dorli disse...

Oi Sol,
Passando para agradecer o carinho. Está frio aqui é já que vou pra cama.kkk
Beijos
Lua Singular

26 de junho de 2014 às 16:57  
Blogger Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amigo! Passando para te cumprimentar e apreciar mais uma das tuas belas criações.

Abraços,

Furtado.

26 de junho de 2014 às 22:18  
Blogger Maria Luiza disse...

Aqui as noites de junho estão frias e as saudades do intenso amor se fazem tão presentes como no seu lindo poema! Um grande abraço!

27 de junho de 2014 às 14:55  
Blogger Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido amigo

Um poema que é um hino de amor e ternura. Adorei como sempre e faltam-me as palavras.

Quero também agradecer o carinho e apoio, só isso me faria voltar.

Um beijinho
Sonhadora

27 de junho de 2014 às 21:37  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial